FR
INQUÉRITO

Expectativas

de regresso de portugueses no estrangeiro
Início / Notícias e eventos / OEm nos média
OEm nos média
Dados divulgados ontem pelo Observatório da Emigração revelam que, durante 2019, entraram no Brasil 705 portugueses. Os valores revelados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública brasileiro e compilados pela investigadora Inês Vidigal mostram que ocorreu um aumento de quase 12%. +
Em 2019, entraram no brasil "705 portugueses, segundo os dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública brasileiro". Este ministério contabilizou um "total de 31,297 entradas" de estrangeiros no Brasil, tendo os "portugueses representado 2.3%" desse total. De resto, a informação é veiculada pelo Observatório da Emigração. +
Registou-se um pequeno decréscimo no número de entradas de portugueses no Japão em 2018: foram 259 os portugueses que, em 2018, entraram no Japão, segundo dados da OCDE. Este organismo internacional contabilizou um total de 519,683 entradas de estrangeiros em território japonês, não chegando os portugueses a representar 0.1% desse total. +
Quando analisamos o conteúdo da informação da publicação também nos deparamos com vários dados incongruentes ou mesmo falsos. Exemplo disso são os cinco milhões de emigrantes portugueses que o texto afirma existirem, quando a Organização das Nações Unidas, ainda em 2019, contabilizava, por exemplo, 2,6 milhões de portugueses emigrados a residir no estrangeiro. Destes, 57% vivem na Europa e 40% no continente americano, segundo dados recentes do Observatório da Emigração. +
No programa Jornal das Comunidades, realizado pela jornalista Isabel Gaspar, na RDP internacional, foram analisados os dados mais recentes referentes aos nascimentos em França de mães portuguesas. +
A emigração voltou a ser mais baixa do que no ano anterior: em 2018, tinham emigrado 31.600 portugueses. É de sublinhar que a forma como o INE estima as saídas de portugueses do país difere da metodologia usada pelo Observatório da Emigração que vai recolher dados de entrada de portugueses nos países de destino. +
Intitulado “Nascimentos em França de mães portuguesas, 1977-2018”, a análise está a ser divulgada pelo Observatório da Emigração e identifica “o declínio” dos nascimentos em território francês das mães de origem portuguesa e suas relações com a evolução dos nascimentos em França. +
A conclusão resulta da análise de uma série estatística sobre os nascimentos em França de mães de origem estrangeira, entre 1977 e 2018, da autoria de Inês Vidigal, do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL) do Instituto Universitário de Lisboa. Intitulado “Nascimentos em França de mães portuguesas, 1977-2018”, a análise está a ser divulgada pelo Observatório da Emigração e identifica “o declínio” dos nascimentos em território francês das mães de origem portuguesa e suas relações com a evolução dos nascimentos em França. +
“É um comportamento expectável”, considera ao “JN” Rui Pena Pires, coordenador do Observatório da Emigração. Isto porque, diz o especialista, Portugal está entre os três países da UE com maior percentagem de retorno de emigrantes, e porque quem regressa mais são os que têm mais qualificações, dado terem mais oportunidades. +
De acordo com dados do Observatório da Emigração, no Luxemburgo vivem quase 73 mil portugueses, o que representa mais de 12% da população, estimada em 264 mil habitantes. +
O embaixador de Portugal no Luxemburgo alertou hoje para o aumento de casos de portugueses explorados por empresas de construção civil portuguesas naquele país e disse recear que a pandemia vá aumentar estas situações. +
De acordo com o Observatório da Emigração, Portugal tem emigrantes em 140 dos 190 países do mundo, sendo a França a nação que concentra mais portugueses e Santa Lúcia ou ilhas Maurícias os Estados que registam menos emigrantes. +
Segundo dados do Office Fédéral de la Statistique, em 2019 entraram na Suíça 8,443 portugueses. O departamento oficial de estatística contabilizou um total de 145,608 entradas de estrangeiros em território suíço naquele ano, representando os portugueses 5.8% desse total. +
Entre 2000 e 2019, ultrapassaram-se as duas mil entradas de portugueses em seis anos (2008, 2012, 2013, 2017, 2018 e 2019), mas o último ano teve o maior crescimento. A informação surge citada pelo Observatório da Emigração (OE). +
A informação, citada pelo Observatório da Emigração (OE), sobre o número de novos emigrantes na Holanda entre 2000 e 2019, revela que se ultrapassaram as duas mil entradas de portugueses em seis anos (2008, 2012, 2013, 2017, 2018 e 2019), mas o último ano teve o maior crescimento. +
Os dados recolhidos pelo Observatório da Emigração revelam ainda que a Suíça é o terceiro país do mundo para onde saem mais portugueses/as (fluxo) e o segundo onde residem mais portugueses/as emigrados/as (stock). +
Em 2019, foram 10.155 os portugueses que entraram em Espanha, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estadística. O organismo espanhol contabilizou ainda um total de 873.842 entradas de estrangeiros em Espanha, tendo os portugueses representado 1,2% desse valor. +
Foram 10.155 os portugueses que, em 2019, entraram em Espanha, segundo os dados do Instituto Nacional de Estadística. Este organismo espanhol contabilizou ainda um total de 873.842 entradas de estrangeiros em Espanha, tendo os portugueses representado 1.2% desse valor. +
Segundo dados do Statistics Norway, em 2019 entraram no país 432 portugueses. Aquele instituto de estatística contabilizou um total de 44,570 entradas de estrangeiros em território norueguês, representando os portugueses 1% desse total. +
De acordo com dados facultados pelo Institut National de la Statistique et de Études Économiques ao Observatório da Emigração, foram 8.055 os portugueses que, em 2018, entraram em França, número que representa um decréscimo de 3.1% quando comparado com o das entradas no ano anterior. +
O número de portugueses que emigra para o Luxemburgo voltou a aumentar em 2019, totalizando 3.752 dos 26.668 estrangeiros que nesse período deram entrada nesse país, segundo dados do Observatório da Emigração. +
Número de portugueses que emigraram para o Luxemburgo diz respeito a 3.752 dos 26.668 estrangeiros que deram entrada nesse país em 2019. Após cinco anos a descer, é o 2º ano consecutivo de subida. +
Portugueses representem mais de 14% dos estrangeiros que chegaram ao Luxemburgo. +
Rui Pena Pires é sociólogo das Migrações e, numa altura em que a Covid-19 ameaça as populações e altera os hábitos de como nos relacionamos, falou com o Notícias ao Minuto fazendo um panorama do passado, do presente e do futuro. +
Em 2018, o país foi mesmo o segundo destino mais escolhido pelos emigrantes, com um total de quase 11 mil entradas de portugueses, ultrapassando as dez mil pela primeira vez na última década, segundo o relatório “Portuguese Emigration Factbook 2019”, publicado pelo Observatório da Emigração. +
São números que confirmam aquilo que já se prenunciava: os emigrantes portugueses correram no ano passado a instalar-se no Reino Unido antes que o Brexit começasse a “doer”. Em 2019, as autoridades britânicas registaram a entrada de 24.593 portugueses, o que traduziu um aumento de 30% comparativamente com o ano anterior. +
As novas regras que o Governo britânico quer aplicar aos emigrantes que tentem entrar no Reino Unido não deverão afectar a comunidade portuguesa residente no país, já que nada indica que tenham efeitos retroactivos. A comunidade tem muitos licenciados, mas a maioria ainda desempenha tarefas desqualificadas. +
O Observatório da Emigração informa que no ano passado o número de portugueses a emigrar para o Reino Unido aumentou, estimando este valor em 15 por cento. +
O Observatório da Emigração estima que 80 mil portugueses abandonaram o país no ano passado, menos 5 mil do que em 2017. +
A emigração portuguesa continua numa tendência de descida mas em desaceleração e tudo indica que poderá estar a atingir valores de estabilização, reforçando a tese de que as variações do volume da emigração portuguesa dependem hoje mais de mudanças de contexto nos principais países de destino do que da evolução da economia portuguesa. Em 2018 emigraram 80 mil portugueses. +
De acordo com a mais recente revisão das estimativas sobre as migrações internacionais da Organização das Nações Unidas (ONU), existem atualmente mais de 2,6 milhões de portugueses a residirem no estrangeiro. Os dados foram recentemente divulgados pelo Observatório da Emigração (OE), mas não há consenso sobre a «fiabilidade da projeção». +
Neste período, não chegaram a mil os portugueses que se mudaram para solo norte-americano. Representaram apenas 0,1% da emigração total naquele país. +
Neste período, as entradas de cidadãos nacionais em solo norte-americano cairam 5% face a 2017 e representaram apenas 0,1% da emigração total naquele país. +
De acordo com o Relatório da Emigração, elaborado pelo Observatório da Emigração e que compila dados relativos a 2018, nos países onde estão disponíveis, “a emigração portuguesa continua numa tendência de descida, mas em desaceleração”. +
O número de imigrantes tem aumentado, a população estrangeira também e o saldo migratório é positivo há dois anos. A emigração desce, mas desde 2010 que Portugal perde população todos os anos. Esta quarta-feira assinala-se o Dia Internacional das Migrações e o tema continua a ser central, mais ainda quando se fala de declínio demográfico. +
O ministro dos Negócios Estrangeiros português apelou esta terça-feira aos portugueses que vivem no Reino Unido para que se registem o mais rapidamente possível, revelando que 220 mil dos 300 mil cidadãos nacionais naquele país já solicitaram este registo. +
Cerca de 80 mil portugueses emigraram em 2018, menos cinco mil do que em 2017, uma descida explicada sobretudo pela quebra da atração de países como Reino Unido ou Angola, segundo o Relatório da Emigração, ontem divulgado. +
Apresentado esta terça feira, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Relatório da Emigração de 2018 mostra que há mais imigração permanente do que emigração, condição indispensável para manter o saldo migratório positivo. +
O Fundo para as Relações Internacionais (FRI), para onde são canalizadas as receitas consulares, obteve um ganho global 48,095 milhões de euros em 2018, mais 16,9% do que em 2017, segundo o Relatório da Emigração divulgado nesta terça-feira. +
Dados são do relatório da Emigração 2018. Espanha é o único país para onde a emigração está a crescer de forma significativa há quatro anos. “As variações do volume da emigração dependem hoje mais de mudanças de contexto nos principais países de destino do que da evolução da economia portuguesa”, conclui o Observatório da Emigração. +
Com base nos dados do INE e do Observatório da Emigração, entre 2011 e 2018, emigraram 846.287 portugueses, 341.277 de forma permanente e 504.970 de forma temporária. Portanto, os 481 pedidos de regresso representam 0,057% dos que emigraram. +
No final do passado mês de novembro decorreu no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) a primeira conferência no âmbito dos 10 anos do Observatório da Emigração, dedicada ao tema “Migrações e Estado-Providência”. +
Rui Pena Pires participou na elaboração do Programa Eleitoral do PS, nomeadamente no capítulo das medidas para combater o racismo e a xenofobia, e foi questionado então pelo jornal sobre a possibilidade de virem a existir, no programa do PS, quotas para alguns grupos sociais minoritários e as medidas pensadas nestas matérias. “Não implica quotas, mas também não as inviabiliza”, foi a resposta dada. +
O número de emigrantes portugueses em Angola diminui em 2018, pelo terceiro ano consecutivo, revelou o Observatório da Emigração, do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa. +
“Os emigrantes têm uma perceção muito incompleta do país para que vão”. Esta é a conclusão de um estudo do IGOT, e que Daniel Bastos realça, neste seu artigo. O desconhecimento dos mecanismos sociais leva o emigrante a agir com alternativas. +
Foram 1.910 os portugueses que entraram em Angola em 2018. O valor representa uma descida de 36% em comparação com as entradas registadas no ano anterior, de acordo com dados dos consulados da República de Angola em Lisboa e no Porto. +
"Os emigrantes têm uma perceção muito incompleta do país para que vão", disse à Lusa a investigadora do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, à margem da conferência "Migrações e Estado-Providência", inserida na celebração dos 10 anos do Observatório da Emigração. +
Segundo dados da ONU o número de portugueses a residir fora do espaço territorial do país, em 2019, era de mais de dois milhões e seiscentos mil. O observatório da emigração deste organismo internacional considera ainda que 57% dos portugueses emigrados vive no espaço europeu, 40% no continente americano e 3% em África, Ásia e Oceânia. +
No total existem 2,6 milhões de emigrantes portugueses em todo o mundo, segundo dados das Nações Unidas compilados pelo Observatório da Emigração. A maioria (1,493 milhões) encontram-se na Europa, seguido da América do Norte (802 mil), América Latina e Caraíbas (249 mil), África (62 mil), Oceânia (20 mil) e Ásia (4.182). +
De acordo com as Nações Unidas, 2.631.559 portugueses residiam no estrangeiro em 2019, 57% na Europa (1.493.128), 40% no continente americano (1.051.484) e 3% (86.947) na África, Ásia e Oceânia. +

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios