FR
Início / Publicações / OEm Conversations With
OEm Conversations With
OEm Conversations With é uma publicação periódica de entrevistas com especialistas sobre as migrações internacionais e, em particular, sobre a emigração portuguesa. Em cada número é apresentada uma conversa desenvolvida sobre a biografia e o trabalho do entrevistado. Procura-se, assim, promover o conhecimento sobre o estado da arte da investigação e da reflexão sobre as migrações, em geral, e sobre a emigração portuguesa, em particular, em termos acessíveis a todos os interessados nas temáticas tratadas.

Coordenação  Carlota Moura Veiga
Periodicidade  Trimestral
ISSN  2183-718X (online)

 

Entrevista com Bridget Anderson
Bridget Anderson é Professora de Migrações e Cidadania na Universidade de Oxford, e Diretora do Instituto de Estudos e Investigação sobre Migração e Mobilidade da Universidade de Bristol, tendo sido anteriormente Diretora de Investigação no Centro de Migrações, Política e Sociedade (COMPAS) da Universidade de Oxford. O seu trabalho explora as relações entre migrações, temporalidades e reivindicações futuras, com particular ênfase na precariedade, flexibilidade do mercado de trabalho e direitos de cidadania. Bridget é a autora de Us and Them? The Dangerous Politics of Immigration Controls (Oxford University Press, 2013) e Doing the Dirty Work? The Global Politics of Domestic Labour (Zed Books, 2000).
Entrevista com Giuseppe Sciortino
Giuseppe Sciortino doutorou-se na Universidade de Bolonha. É professor de Sociologia na Universidade de Trento, Itália. A sua atividade de ensino e investigação desdobra-se pela teoria sociológica, sociologia cultural, migrações internacionais, sociologia do desenvolvimento e sociologia da sexualidade. Recentemente, coordenou The Cultural Trauma of Decolonization (com Ron Eyerman) e Populism in the Civil Sphere (com Jeffrey C. Alexander e Peter Kivisto), publicou Rebus Immigrazione e Great Minds: Encounters with Social Theory (com Gianfranco Poggi; Sciortino), entre muitos outras participações em artigos e livros.
Entrevista com Jorge Arroteia
Jorge Arroteia, atualmente aposentado, foi Professor Catedrático na Universidade de Aveiro. Com formação de base em geografia, e doutoramento em ciências sociais, o estudo sobre a emigração portuguesa esteve sempre presente na sua carreira de investigação. Coordenou o projeto Emigrateca. A entrevista incidiu sobre o percurso do investigador e os projetos em que esteve envolvido, e inclui reflexões sobre a emigração portuguesa recente.
Entrevista com Giuseppe Formato
Giuseppe Formato é Senior Lecturer na Lesley University (EUA), onde ensina português, italiano e cinema. Em 2018, obteve o PhD em Educational Studies: Adult Learning and Development com uma tese sobre The Impact of Language Variety and Motivation on Language Acquisition in Adult Heritage Learners of Portuguese. Foi bolseiro do Instituto Camões junto do Consulado Geral de Portugal em Boston onde trabalhou em projetos de disseminação da língua portuguesa. É ainda investigador visitante no CIES-Iscte onde se encontra a desenvolver um projeto de investigação pós-doc sobre Heritage Learners’ Portuguese. An exploration of Language Attitudes in the Portuguese-Speaking Diaspora of Southeastern New England. +
Entrevista com Thomas Faist
Thomas Faist (PhD, New School for Social Research) é professor de Sociologia Transnacional, Migrações e Desenvolvimento na Universidade de Bielefeld na Alemanha. Dirige o Centro sobre Migração, Cidadania e Desenvolvimento (COMCAD). Thomas Faist tem contribuído para os debates sobre cidadania, transnacionalismo, migração e política social em curso na Europa e fora dela. É autor e co-autor de numerosos livros, incluindo The Transnationalized Social Question: Migration and the Politics of Social Inequalities in the Twenty-First Century (2019), Disentangling Migration and Climate Change (2016), Transnational Migration (2013), assim como Citizenship: Discourse, Theory and Transnational Prospects (2007), e Dual Citizenship in Europe (2007). Thomas Faist é membro da North Rhine-Westphalian Academy of Sciences, Humanities and the Arts. +
Entrevista com Alan Gamlen
Alan Gamlen é um especialista em migrações. É Professor Associado de Geografia na Universidade de Monash, em Melbourne, e Investigador Associado no Centro de Migração, Política e Sociedade da Universidade de Oxford. Já ocupou cargos anteriores na Universidade de Stanford, no instituto Max Planck, na Alemanha, e no Centro Japonês de Estudos Regionais. Foi diretor do Centro de Investigação sobre População e Migração da Austrália. Alan Gamlen é autor de Human Geopolitics: States, Emigrants and the Rise of Diaspora Institutions (Oxford University Press, 2019), livro vencedor do Distinguished Book Award for Best Book on Ethnicity and Migration, da International Studies Association. É doutorado em Geografia pela Universidade de Oxford, onde estudou como bolseiro Top Achiever da Nova Zelândia. +
Entrevista com Duval Fernandes
Duval Fernandes possui uma graduação em Ciências Econômicas (1975), mestrado em Economia (1977) e doutoramento em Demografia (1996) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Fez um pós-doutoramento no Instituto Universitário de Investigación Ortega Y Gasset da Universidad Complutense de Madrid. É professor visitante na Universidade Peruana Cayetano Heredia, Lima, investigador do Socius, do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade de Lisboa, e professor adjunto IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, no Programa de Pós-Graduação em Geografia e no Departamento de Economia. Tem experiência na área de Demografia, com ênfase em mortalidade e migrações internacionais. +
Entrevista com Diego Acosta
Diego Acosta é um dos principais especialistas internacionais em direito migratório internacional, europeu e comparado. O núcleo da sua investigação é um inquérito interdisciplinar, praticamente significativo e teoricamente sofisticado sobre direito migratório internacional, direitos humanos, e direito europeu e comparado, com o objetivo de oferecer uma nova uma abordagem baseada em direitos à regulamentação da migração. O seu trabalho discute o direito das migrações como um aspeto central da globalização, e analisa vários processos de inclusão e exclusão, e as suas profundas implicações para o Estado de direito na Europa, América do Sul e noutros locais. É o autor de mais de 50 publicações e a sua última monografia intitula-se The National versus the Foreigner in South America. 200 Years of Migration and Citizenship Law. +
Entrevista com Sharvari Karandikar
Sharvari Karandikar começou a sua carreira como assistente social com trabalhadoras do sexo e vítimas de tráfico sexual em Bombaim, Índia. Durante o seu programa de doutoramento em Trabalho Social na Universidade de Utah, e através do seu trabalho Tata Institute of Social Sciences (TISS) em Mumbai, e mais tarde na Universidade Estatal de Ohio, concentrou os seus esforços de investigação em questões relacionadas com as trabalhadoras do sexo e vítimas de tráfico sexual, particularmente em questões de violência baseada no género, saúde e saúde mental. A investigação actual da Dra. Karandikar relaciona-se com o trabalho sexual e o tráfico sexual na Ásia, a doação de óvulos, a subserviência gestacional internacional, o turismo médico e o seu impacto nas mulheres. +
Entrevista com João Sardinha
João Sardinha é doutorado em estudos migratórios pela Universidade de Sussex, com formação anterior em geografia. Tem como interesses de investigação o retorno da segunda geração emigrante, o associativismo em contexto migratório, transnacionalismo e espaço sociais transnacionais e migrações para espaços rurais. Desde da conclusão do seu doutoramento em 2008 tem ocupado vários cargos como investigador científico em vários centros de investigação em Portugal, entre eles: CES-Universidade de Coimbra, CEMRI-Universidade Aberta, IGOT-Universidade de Lisboa, ICS-Universidade de Lisboa, CICSNOVA-Universidade Nova de Lisboa. +
Entrevista com Rob McNeil
Rob McNeil é investigador do COMPAS e examina os ambientes sociais dos quais emergem notícias e narrativas sobre migração e migrantes; como o debate mediático afecta as decisões políticas migratórias (e vice-versa); e como a falta de informação afecta a forma como estas questões são discutidas. Ele dá palestras sobre migração e os meios de comunicação social para o MSc em Estudos Migratórios. Rob é também o Director Adjunto e Chefe dos Media e Comunicações no Migration Observatory. Ele fez parte da equipa que lançou o Migration Observatory em 2011 e, desde então, tem trabalhado para incorporar a análise do Migration Observatory nos debates públicos. É responsável pela estratégia de relações públicas, divulgação parlamentar e comunitária e trabalho com notícias e comentários. Rob é ex-jornalista e ingressou no COMPAS em novembro de 2010, após dois anos como Diretor de Comunicação da organização ambiental americana Conservation International. +
Entrevista com Jean-Michel Lafleur
Jean-Michel Lafleur é Professor na Universidade de Liège e Director Associado do seu Centro de Estudos Étnicos e Migratórios (CEDEM). É também investigador associado na Fundação Nacional da Ciência da Bélgica (FRS-FNRS). Actualmente é titular de uma Bolsa Inicial do Conselho Europeu de Investigação (ERC) para trabalhar num projecto intitulado "Migração e Protecção Social Transnacional na Europa Pós-crise". +
Entrevista com Ana Saraiva
Ana Saraiva é antropóloga, doutorada em antropologia e mestre em museologia e património pela Universidade Nova de Lisboa. Em 1999 foi antropóloga no município de Góis e em 2000 exerceu no município de Gavião (equipa do Plano de Acção Local e do Plano de Pormenor e Salvaguarda do Centro Histórico de Belver). Desde 2001 é antropóloga no município de Ourém, assumindo atualmente a chefia da Divisão de Ação Cultural. Programou e dirige o Museu Municipal de Ourém. Participa em projetos de pesquisa e de programação centrados nas áreas da antropologia e da museologia, com publicações sobre discursos de representação cultural. Em 2017, a sua tese de douturamento, Casas (Pós) Rurais entre 1900 e 2015: Expressões Arquitetónicas e Trajetórias Identitárias, foi publicada em livro. +
Entrevista com Cláudia Pereira
Cláudia Pereira é doutorada e licenciada em antropologia pelo ISCTE-IUL. Investigadora no ISCTE-IUL, tem estado integrada no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia. Em 2012, iniciou um projeto de pós-doutoramento em sociologia, sobre a relação entre a crise financeira e a emigração portuguesa qualificada para Londres, em particular, os enfermeiros. Foi coordenadora executiva do Observatório da Emigração de 2017 a 2019. Atualmente, é Secretária de Estado para a Integração e as Migrações. Os seus interesses de investigação incluem a emigração e imigração, tráfico laboral e migrações qualificadas. Entre outras publicações, coorganizou o livro de acesso aberto New and Old Routes of Portuguese Emigration: Uncertain Futures at the Periphery of Europe. +
Entrevista com Sónia Ferreira
Sónia Ferreira é investigadora integrada do CRIA onde co-coordena o Grupo de Investigação "Circulação e Produção de Lugares", e investigadora associada da Unité de Recherche Migrations et Société (Universidade de Paris) onde co-coordena o grupo de trabalho “Migrations dans les mondes lusophones: identités, altérités et circulations". Atualmente é investigadora contratada do CRIA-NOVA FCSH com o projecto “(Re)Contar o império:narrativas pós-coloniais e produção mediática na “diáspora” portuguesa e cabo-verdiana” e professora auxiliar convidada do departamento de antropologia da NOVA-FCSH. Desde 2019 coordena o projecto europeu "#ECOS. Exílios, contrariar o silêncio: memórias, objectos e narrativas de tempos incertos". +
Entrevista com Jacquelyn Meshelemiah
Jacquelyn C. A. Meshelemiah foi assistente social durante vários anos, focando-se atualmente na investigação e docência. Fez o bacharelato, o mestrado e o doutoramento em serviço social, na Faculdade de Serviço Social, da Universidade Estadual de Ohio, EUA. Meshelemiah tem ensinado inúmeros cursos, dedicando-se, de momento, exclusivamente ao ensino de Avaliação e Diagnóstico em Clínica Prática de Trabalho Social, bem como de Tráfico de Seres Humanos. É autora e coautora de inúmeras publicações, tais como “Human Sex Trafficking” e, a sua mais recente, “Human Rights Perspectives in Social Work Education and Practice”. É igualmente autora de diversas conferências e formações em universidades nacionais e internacionais. Os seus principais interesses de pesquisa são justiça social, direitos humanos e trabalho antitráfico. Desenvolve análise comparativa de tráfico de seres humanos em Gana, Uganda, Etiópia, Inglaterra, México, Canadá, Costa Rica e EUA. +
Entrevista com Pamila Gupta
Pamila Gupta é Professora Associada do Wits Institute for Social and Economic Research (WISER), na Universidade de Witwatersrand, Joanesburgo, África do Sul. É doutorada em Antropologia Sociocultural pela Columbia University. A sua investigação incide sobre vínculos e legados lusófonos (pós) coloniais na Índia e em África. Tem publicado nas revistas Interventions, South African Historical Journal, African Studies, Critical Arts, Journal of Asian and African Studies, Ler História e Ecologie&Politique. Co-organizou Eyes Across the Water: Navigating the Indian Ocean, com Isabel Hofmeyr e Michael Pearson (UNISA, 2010). Em 2014, publicou The Relic State: St. Francis Xavier and the Politics of Ritual in Portuguese India, na Manchester University Press. A sua mais recente colecção de ensaios, intitulada Portuguese Decolonization in the Indian Ocean World: History and Ethnography, foi publicada pela Bloomsbury Press, em 2018. +
Entrevista com Caroline Brettell
Caroline Brettell é doutorada em antropologia pela Universidade de Brown, EUA, onde realizou o seu Master of Arts. Licenciou-se em Estudos Latino-Americanos pela Universidade de Yale. Em 2009 foi nomeada University Distinguished Professor da Southern Methodist University, nos EUA, onde leciona. É diretora do Dedman College Interdisciplinary Institute. Os seus principais interesses de investigação centram-se nas migrações, na intersecção entre a antropologia e a história, na demografia histórica, no género e no transnacionalismo. Desde os anos 1970 tem desenvolvido trabalho de terreno entre os emigrantes portugueses no Canadá, em França, nos EUA e, no Minho, entre os familiares daqueles, neste caso para analisar os impactos da emigração no país de origem. +
Entrevista com José Carlos Marques
José Carlos Marques, doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, é professor na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria e investigador no CES e no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa (Pólo do IPL). Os seus interesses de investigação têm incidido sobre a emigração contemporânea portuguesa, as políticas migratórias, os fluxos imigratórios portugueses, a migração altamente qualificada e a inserção dos imigrantes na sociedade portuguesa. +
Entrevista com Dulce Maria Scott
Dulce Maria Scott nasceu em São Miguel, Açores, e emigrou para os EUA com 18 anos. É licenciada em sociologia e ciência política pela Universidade de Massachusetts, Dartmouth. Concluiu o mestrado em ciência política e doutorou-se em sociologia na Brown University, Rhode Island. Atualmente, é professora na Anderson University, Indiana, e investigadora no Institute for Portuguese and Lusophone World Studies, no Rhode Island College. É fundadora da revista científica Interdisciplinary Journal of Portuguese Diaspora Studies. Os seus interesses de investigação incluem a imigração, etnicidade e raça na América e os seus estudos mais recentes têm incidido sobre os luso-descendentes. +
Entrevista com Marcelo Borges
Marcelo Borges é argentino, doutorado em História pela Rutgers University, Nova Jérsia (EUA). O tema do seu doutoramento é a emigração portuguesa para a Argentina, em particular de algarvios, entre o fim do século XIX e início do século XX. É professor associado de História no Dickinson College, em Carlisle, Pensilvânia (EUA), e os seus interesses de investigação são a história da América Latina, as migrações transatlânticas para as Américas, a história da migração portuguesa e a história oral e a memória. +
Entrevista com Jorge Malheiros
Jorge Malheiros é geógrafo, investigador no Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa, onde também é professor associado, lecionando disciplinas no domínio da teoria e metodologias da geografia, da geografia social, das migrações e da geopolítica. Para além doutras funções em termos institucionais, Jorge Malheiros é correspondente português da OCDE. Nesta entrevista, o investigador fala-nos da sua trajetória pessoal e académica, dando especial relevo ao trabalho desenvolvido na área das migrações internacionais e da segregação social e espacial. Aborda ainda a sua colaboração no projeto REMIGR sobre a emigração portuguesa. +
Entrevista com Paulo Filipe Monteiro
Paulo Filipe Monteiro é licenciado em Sociologia, pelo ISCTE. Ainda estudante, nos anos 1980, como projeto de fim de curso, iniciou o estudo da emigração das aldeias da serra da Lousã para os EUA. Continuou, mais tarde, a investigação sobre emigrantes portugueses, então a partir do destino, no Connecticut, EUA. Deste percurso surgiu o livro Emigração. O Eterno Mito do Retorno, bem como outras publicações, entre as quais, Luso-Americanos no Connecticut. Questões de Etnicidade e de Comunidade. É doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, onde ensina drama, cinema e ficção. +
Entrevista com João Peixoto
João Peixoto é sociólogo e professor catedrático no ISEG, Universidade de Lisboa. Investigador no Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações (SOCIUS/CSG), os seus domínios de pesquisa e de docência são as migrações internacionais, demografia e sociologia económica. Nesta entrevista, João Peixoto fala-nos do modo como o estudo da emigração portuguesa acompanhou todo o seu percurso académico. De maneira pormenorizada dá-nos conta das origens, realização e concretização do projeto REMIGR, que resultou no livro, publicado em abril de 2016 e no qual foi coorganizador, Regresso ao Futuro. A Nova Emigração e a Sociedade Portuguesa +
Entrevista com Miriam Halpern Pereira
Miriam Halpern Pereira, Professora Catedrática Emérita de História no ISCTE-IUL, doutorada em História pela Sorbonne, foi diretora e fundadora do Centro de Estudos em História Social Contemporânea. O tema da emigração portuguesa tem sido recorrente no seu percurso de investigação. De entre as suas publicações neste domínio destaca-se o livro A Política Portuguesa de Emigração (1850-1930). Em sua homenagem, foi publicado, em 2009, o livro Desenvolvimento Económico e Mudança Social. Portugal nos Últimos Dois Séculos, organizado por José Vicente Serrão, Magda Avelar Pinheiro e Maria de Fátima Sá e Melo Ferreira. +
Entrevista com Catherine Wihtol de Wenden
Catherine Wihtol de Wenden é politóloga em Sciences Po e investigadora no CNRS. Os seus trabalhos tratam das relações entre migrações e política. Nesta entrevista, fala-nos das suas investigações comparativas sobre a evolução dos fluxos e das políticas migratórias na Europa e no mundo. Catherine Wihtol de Wenden propõe uma nova leitura da crise atual dos migrantes e dos refugiados, mostrando as contradições das políticas de controlo das fronteiras. +
Marie-Christine Volovitch-Tavares
Marie Christine Volovitch-Tavares é historiadora. Desde os anos 1990 trabalha sobre a imigração portuguesa em França. É autora do livro Portugais à Champigny, le Temps des Baraques. Na sua investigação trata de temas tão diversos como os bidonvilles nos anos 60, os exilados políticos, ou o papel da religião católica na integração dos portugueses. De 2003 a 2007 foi membro do comité de historiadores que participaram na criação da Cité Nationale de l’Histoire de l’Immigration (CNHI-França). +

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios