FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2009
Reino Unido: Luso2009 reuniu estudantes e investigadores portugueses
2009-06-29
Cerca de 250 pessoas, maioritariamente estudantes e investigadores portugueses, radicados no Reino Unido participaram no dia 28 de Junho, no Luso2009. Organizada por um grupo de estudantes e investigadores de Londres, esta foi a terceira edição de um encontro que já teve lugar em Cambridge (2007) e em Oxford (2008) sempre com o objectivo de colocar estes profissionais portugueses em contacto e dar a conhecer as perspectivas de emprego em diferentes áreas, tanto no Reino Unido como em Portugal, como revelou Luis Valente a O Emigrante/Mundo Português.

Organizado com o apoio da PARSUK, uma associação criada em Março de 2008 para promover a integração de estudantes e investigadores portugueses no Reino Unido, o Luso2009 pretendia dar maior ênfase "às oportunidades de emprego e à situação actual em diferentes áreas científicas, em Portugal e no Reino Unido", explicou Luis Valente.
Outra inovação em relação às edições anteriores foi a existência de um painel dedicado às oportunidades globais, "não apenas das que existem no nosso país de origem ou no de residência", explicou o organizador, explicando que outro facto de inovação foi o espaço concedido aos estudantes de artes para exibirem o seu trabalho.
Luis valente sublinha porém que há características que mantiveram das duas edições anteriores, como "o entusiasmo e a dedicação das diferentes equipas que trabalharam para estas três edições.
Sem a ajuda e os conselhos dos organizadores do Luso2007 e Luso2008, teria sido muito mais difícil pensar o Luso2009", confessa um dos organizadores.

Perspectivas de emprego

Para além de colocar estudantes e investigadores em contacto, o encontro permitiu a discussão sobre temas que de preocupação comum e ainda dar a conhecer perspectivas de emprego em diferentes áreas, em Portugal e no Reino Unido. "Queremos continuar a «misturar» pessoas de diferentes áreas e permitir que se conheçam e que partilhem experiências e ideias", destacou Luis Valente.
Sobre as perspectivas de carreira em Portugal, Luis Valente diz para já, é "unânime e indiscutível" que o Reino Unido possui actualmente "uma maior diversidade de oferta a nível de ciência, e um muito maior número de centros de investigação". "No entanto, por aquilo que nos foi mostrado nos últimos encontros e pela nossa experiência, acreditamos que tem havido uma evolução muito positiva na investigação que se faz em Portugal nas diferentes áreas", acredita.
Este ano, o encontro contou com a presença ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, que presidiu à sessão de abertura e participou num debate sobre Educação, Ciência e Investimento. Marcaram presença ainda Marçal Grilo, administrador da Fundação Gulbenkian, e Basílio Horta, presidente da AICEP. Painéis dedicados às oportunidades globais e ao «networking», à ciência e tecnologia, às ciências económicas e financeiras, à investigação e desenvolvimento e às ciências socias e humanas, fizeram ainda parte do programa do encontro que terminou com a intervenção do professor Hermínio Martins, um dos mais proeminentes sociólogos portugueses, que reside no Reino Unido.

Ana Grácio Pinto
Mundo Português, aqui, 02 de Julho de 2009.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios