FR
Início / Publicações / OEm Fact Sheets / Saldos migratórios 2000-2013
Saldos migratórios 2000-2013
Rui Pena Pires* e Inês Espírito-Santo*
De acordo com os dados do Eurostat sobre as migrações nos países da UE e EFTA, Portugal, que apresentava um saldo migratório positivo de quase 47 mil indivíduos em 2000, passou a ser, em 2013, um dos países europeus com saldo mais negativo em termos absolutos (-36 mil indivíduos) e relativos (-0.3% da população residente). Naquele ano, só Polónia, Grécia e Espanha apresentavam saldos mais negativos, em termos absolutos. Descontando os efeitos dos movimentos de retorno, em pior situação do que Portugal apenas apareciam Polónia e Roménia. +

 

Série  OEm Fact Sheets
Número  04
Data  setembro de 2016 
Páginas  19
ISNN  2183-4385
DOI  10.15847/CIESOEMFS042016
URI   http://hdl.handle.net/10071/11929

Palavras-chave  Saldo migratório, Portugal, União Europeia

Índice  Evolução dos saldos, 2000-2013. Comparação no espaço europeu (2013). Nota sobre os dados. Metainformação. Anexo (quadros)

Como citar  Pires, Rui Pena, e Inês Espírito-Santo (2016), “Saldos migratórios 2000-2013”, OEm Fact Sheets, 4, Observatório da Emigração, CIES-IUL,
ISCTE-IUL. DOI: 10.15847/CIESOEMFS042016.

 

Gráfico 6  Saldo migratório sem retornos em percentagem da população residente, países da UE e EFTA, 2013

 

Nota Excluídos os países com menos de um milhão de habitantes (Chipre, Islândia, Liechtenstein, Luxemburgo e Malta).
Fonte
  Gráfico elaborado pelo Observatório da Emigração, valores do Eurostat, Database on Population and Social Conditions, Demography and Migration (pop).     

 


* Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL), Lisboa, Portugal

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios