FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2016
Emigrantes em cota máxima
2016-08-07
É no verão que os emigrantes portugueses regressam à terra natal. A maioria trabalha em países como a França, Suíça ou Alemanha. Por esta altura as aldeias enchem-se de pessoas que por algum tempo animam as terras quase desertas do interior de “baixa densidade”.

Na freguesia da Queiriga, a aldeia mais francesa de Portugal, são visíveis as movimentações de emigrantes sobretudo oriundos da França. Por aqui é comum ouvir-se falar o francês como segunda língua ou mesmo materna no caso dos jovens lusodescendentes que de português “pouco ou quase nada sabem”.

A determinada altura quem por ali passa, não conhecendo, poderá mesmo pensar que está em uma qualquer localidade do país da torre Eiffel. Os habitantes daquela freguesia dizem mesmo “que as casas que durante o ano estão fechadas abrem-se agora ao sol quente da época e à animação dos dias”.

É nesta altura do ano que se fazem as festas populares em quase todas as aldeias e freguesias do concelho. O reencontro entre famílias e amigos é um ritual em Vila Nova de Paiva. Quase todos têm um familiar ou um amigo a trabalhar no estrangeiro.

A ligação à terra natal dos mais velhos continua a ser o principal atrativo para o regresso anual. Os mais novos, que já nasceram em outros países, chegam com os pais e familiares e gozam de um tempo diferente, “já que as ofertas de diversão são uma mais-valia no concelho”. As praias fluviais existem “em boas condições” e as festas e locais de diversão noturna são dos mais procurados na região.

 

Ler artigo completo no Jornal do Centro, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios