FR
INQUÉRITO

Expectativas

de regresso de portugueses no estrangeiro
Início / Recursos / Recortes de imprensa / Antes de 2009
Emigraram em Portugal vinte e sete mil pessoas em 2007
2008-09-23
De 2006 para 2007, o número de novos emigrantes portugueses mais do que duplicou. No último ano, um total de 26.800 residentes em Portugal decidiram procurar melhores condições de vidano estrangeiro. Espanha, Suíça, Luxemburgo, Holanda e Bélgica foram os países mais escolhidos. A crise económica que a sociedade portuguesa atravessa é o principal motivo para esta decisão.

Ao contrário do que é costume afirmar-se, a crise, quando chega, não é para todos. Mas, mesmo não sendo, é-o pelo menos para muitos. Que o digam os 26.800 residentes em Portugal que abandonaram o país em 2007.
Dados do organismo europeu de estatística, o ‘Eurostat', divulgados em meados do mês de Setembro, indicam que a emigração em Portugal aumentou na ordem dos 111 por cento de 2006 para 2007.


Efeitos da crise?

Há dois anos, tinham emigrado 12.700 residentes em Portugal. Em 2007, esse número ascendeu a 26.800 pessoas, número que inclui não só portugueses, mas também estrangeiros que optaram por voltar aos seus países de origem.
Estes dados foram confirmados por um outro organismo internacional, a OCDE (Organi-zação para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), e permitem fazer uma nova avaliação de como a crise económica que o país atravessa - situação que se verifica também um pouco por toda a Europa - está a afectar os portugueses.


Espanha, Suíça e Benelux

De facto, uma análise aos países que mais portugueses receberam nos anos de 2006 e 2007 (Espanha, Suíça e países do Benelux, por exemplo) permite perceber que os emigran-tes de Portugal optam por procurar melhores condições de vida em países com um crescimento económico superior ao  português e onde haja escas-sez de mão-de-obra pouco qualificada.
A França, o Reino Unido, Andorra e Angola foram outros dos destinos escolhidos pela emigração portuguesa. Só em Angola, por exemplo, já viviam 60 mil portugueses em Julho último, e este valor tem tendência para continuar a aumentar nos próximos meses.


‘Emigrantes' residentes

Aos portugueses que decidiram emigrar nos últimos dois anos podem ainda somar-se os 63.300 residentes em Portugal que trabalham no estrangeiro. O Instituto Nacional de Estatística revela que Espanha é o principal destino destes trabalhadores, que vivem junto à fronteira ou que regressam a Portugal aos fins-de-semana depois de uma semana de trabalho em áreas como a cons-trução civil, a agricultura, a pesca, a restauração ou a hotelaria.
Este valor tem vindo a crescer desde 1998, e aumentou mesmo para mais do dobro em apenas 3 anos. Em 2005, o total de residentes em Portugal que trabalhavam no estrangeiro era de 27.500.
Ainda assim, e voltando aos dados do ‘Eurostat', no saldo entre os que partem e os que ficam, Portugal obteve um acréscimo de 19.500 pessoas, na sua maioria provenientes do Brasil, de Cabo Verde e do leste da Europa.

Mundo Português, aqui, acedido em 26 de Janeiro.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios