FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2016
Governo diz que portugueses em cantinas sociais no Luxemburgo não pediram ajuda à Embaixada
2016-03-25
Os imigrantes portugueses que recorreram às cantinas sociais no Luxemburgo não pediram apoio social à Embaixada nem ao Consulado de Portugal no país, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) em resposta a uma questão parlamentar do PCP.

O governo diz que "os portugueses que residem ou chegam ao Luxemburgo e necessitam de ajuda têm sido apoiados sempre que tal é solicitado pelos próprios", sendo recebidos com "carácter de urgência, sempre que possível no próprio dia", mas que os imigrantes "em causa não procuraram apoio social" nas representações diplomáticas no país, que contam com uma adida social e uma técnica de serviço social.

O Partido Comunista Português (PCP) questionou em 12 de Fevereiro o Governo sobre a situação dos portugueses que recorrem às cantinas sociais no Luxemburgo, um caso que o CONTACTO noticiou a 3 de Fevereiro

No último ano, 500 portugueses recorreram à cantina social da "Voz da Rua" ("Stëmm vun der Strooss", em luxemburguês) na cidade do Luxemburgo, que serve refeições a sem-abrigo e pessoas em situação precária. Um número que é superior aos 484 luxemburgueses que por lá passaram no mesmo período, representando 18,5% do total. Os portugueses representam ainda 23% do total de pessoas que passaram pela cantina social da associação em Esch-sur-Alzette em 2015 (241 pessoas).

 

Ler artigo completo no Luxemburger Wort, aqui

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios