FR

Link para inquéritoO regresso como emigração: o caso dos jovens adultos portugueses

Início / Recursos / Recortes de imprensa 2015
Emigrantes registados nos cadernos eleitorais distorcem números da abstenção
2015-10-11
Portugueses residentes no estrangeiro mantêm morada em Portugal. A abstenção é mais baixa do que parece e há razões para isso. Com a vaga de emigração nos últimos anos, ainda mais.

A participação dos eleitores nas legislativas de 4 de Outubro terá sido melhor do que indicam os números oficiais, em que a abstenção atingiu um novo recorde histórico de 43%. Como noutras eleições, por detrás do valor da abstenção oficial há um outro número, discutido por politólogos que estudam o comportamento eleitoral, que se pensa estar mais próximo da abstenção real.

Tudo porque continua a haver uma discrepância significativa entre o número de cidadãos que constam dos cadernos eleitorais e o número efectivo da população residente com idade para votar. Segundo a estimativa mais recente do INE, a população residente com 17 anos ou mais - aquela que já podia votar nestas legislativas - era no ano passado de 8,6 milhões (8.659.201), inferior ao número de pessoas que constam dos cadernos eleitorais: 9,4 milhões (9.439.711). E daqui resulta um grande número de "eleitores-fantasma", que ronda os 780 mil.

 

Ler artigo completo no Público, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios