FR
Início / OLDDestaques / Mais de 100 mil saídas pelo segundo ano consecutivo
Mais de 100 mil saídas pelo segundo ano consecutivo
Entre 2013 e 2014 a emigração estabilizou em alta, na casa das 110 mil saídas ano, valores só antes observados nos anos 1960/70.

Os efeitos da crise sobre o volume da emigração portuguesa variaram ao longo dos últimos anos. Numa primeira fase, entre 2008 e 2010, a natureza global da crise financeira e, em particular, o seu impacto no emprego em Espanha, então o principal destino da emigração portuguesa, traduziram-se num decréscimo do número de saídas, em linha com o que aconteceu à época em todo o espaço da OCDE. Desde 2010, com a natureza assimétrica da chamada crise das dívidas soberanas e os efeitos recessivos das políticas de austeridade, a emigração passou a crescer mais do que no período anterior, estabilizando entre 2013 e 2014 na casa das 110 mil saídas ano, valores só antes observados nos anos 1960/70.

 

Figura   Saídas totais de emigrantes portugueses, 2001-2014

 

Nota: os dados de 2014 são provisórios.
Fonte: Observatório da Emigração com base nos dados sobre as entradas de portugueses nos países de destino.

[Rui Pena Pires]

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios