FR

Link para inquéritoO regresso como emigração: o caso dos jovens adultos portugueses

Início / Recursos / Recortes de imprensa 2015
Portugal, um país (que não quer ser) de emigrantes
2015-09-22
Há mais de dois milhões de portugueses a viver no estrangeiro. O Observatório da Emigração diz que Portugal é o país da União Europeia com maior proporção da população a viver fora das suas fronteiras, números que dispararam nos últimos anos com perto de 200 mil a saírem de forma permanente entre 2011 e 2014.

A caminho das eleições, nas duas semanas de campanha eleitoral, a TSF selecionou 10 perguntas para o futuro governo. Desta vez queremos conhecer, ao longo do dia, as propostas dos partidos para trazer de volta quem emigrou.

Fenómeno antigo em Portugal, a emigração disparou a partir de 2011. Nos últimos 4 anos saíram de forma permanente 200 mil pessoas, mais do dobro que os 70 mil dos quatro anos anteriores (2007 a 2010).

Quando falamos de emigrantes permanentes, a saída de portugueses entre 2011 a 2014 foi a maior dos últimos 30 anos. E os chamados emigrantes temporários chegaram, segundo o Instituto Nacional de Estatística, no mesmo período, aos 285 mil.

No dia em que questiona os partidos sobre como fazer regressar tantos portugueses a um país com a população a diminuir, a TSF foi conhecer dois casos.

Ler artigo completo na TSF, aqui.    

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios