FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2015
Para lá da espuma dos dias
2015-09-04
Dos 24 países que em 2014 perderam população, Portugal foi o quinto. Mas se recuarmos até 2010, Portugal está entre os 10 países que registaram maiores perdas populacionais

 

Seguramente que a dívida e o défice são questões muito importantes e urgentes para Portugal nos tempos que correm e que nos têm vindo a fazer comer o pão que o diabo amassou. Mas há as tendências de fundo, e essas são as que contam verdadeiramente. Se não forem atacadas, Portugal está a caminho da total irrelevância enquanto país.

Em países sem recursos minerais significativos, os recursos humanos são fundamentais. Ora, o que aconteceu nestes últimos quatro anos em Portugal foi uma enorme desvalorização dos seus recursos humanos. Por várias vias: abandono escolar, quebra significativa na aposta na investigação e desenvolvimento, desemprego de mão-de-obra qualificada e emigração de muitos jovens em idade ativa e muito bem preparados do ponto de vista profissional. Acresce a isto a quebra da natalidade, que tem a ver também com a crise, mas que não resulta apenas dela. Tudo isto faz com que dos quase 200 países existentes no planeta tenha havido 24 que em 2014 perderam população. Portugal regista a quinta maior perda populacional do mundo inteiro, em termos relativos, só suplantado por Porto Rico, Letónia, Lituânia e (adivinhem...) Grécia. Mas se recuarmos até 2010, Portugal está entre os 10 países que registaram maiores perdas populacionais, segundo dados do Banco Mundial.

 

Ler artigo completo no Expresso, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios