FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2009
Banguecoque, Tailândia
2009-06-15
Na Tailândia, onde a esmagadora maioria da população é budista, há um bairro onde grande parte dos seus habitantes são católicos, por influência dos portugueses, que se fixaram no local há mais de duzentos anos.

*** Elsa Resende, Agência Lusa ***

O bairro chama-se Santa Cruz, fica em Thon Buri, uma das margens do rio Chao Phraya, em Banguecoque, onde já quase não existem vestígios portugueses, a não a ser a igreja que dá nome ao sítio e pequenos santuários católicos privados.

Uma importante comunidade portuguesa de comerciantes e missionários cristãos viveu no Bairro de Santa Cruz durante o século XIX, depois de o reino do antigo Sião, actual Tailândia, ter concedido terras aos portugueses em Thon Buri, em sinal de agradecimento ao apoio prestado na guerra contra a Birmânia, que destruíra, em 1767, o Bairro Português, em Ayutthaya, na velha capital.

A Igreja de Santa Cruz foi construída no século XVIII, quando Thon Buri foi a capital siamesa, e recuperada em 1834 e 1913, mantendo os seus vitrais.

No domingo acolheu um casamento entre um católico e uma budista.

Segundo um dos tailandeses que moram no bairro, Santi, de 48 anos, 900 residentes são católicos. Ao todo 1.200 pessoas moram no bairro.

A igreja, que dá acesso a ruelas estreitas, abre diariamente para a missa, conta, num inglês atabalhoado.

Santi, cuja ascendência portuguesa remonta a cinco gerações, vende, no bairro, numa banca improvisada numa casa abarracada, queques, uma receita também herdada dos portugueses.

Os queques tailandeses são iguais aos portugueses, mas mais fofos e doces.

Na Tailândia, cuja capital, Banguecoque, tem mais população do que Portugal, 95 por cento dos habitantes seguem o budismo.

Lusa/Fim

Lusa, aqui, acedido em 16 de Junho de 2009.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios