FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2015
Emigrantes. Bancos oferecem cada vez mais produtos para quem já não vive em Portugal
2015-05-23
Isenções, descontos, gestores a tempo inteiro e soluções de aforro são as apostas dos bancos para fidelizar os emigrantes.

A vaga de emigração que a recente crise provocou em Portugal levou a que muitas empresas tivessem de se adaptar a esta nova realidade. Os dados do Banco Mundial apontam que haja um total de 2 milhões de emigrantes portugueses em todo o mundo. O mesmo organismo registou um aumento de 115 mil cidadãos portugueses a optar por viver fora do país entre 2010 e 2013.

 

Numa altura em que obedecem a regras cada vez mais apertadas em termos de solidez financeira, os bancos foram vendo sair do país grande parte dos seus clientes, o que poderia penalizar as suas contas, sobretudo no que concerne à fuga de depósitos. Actualmente quase todas as instituições financeiras têm diversas opções para quem está a viver temporária ou permanentemente fora do país. De depósitos a prazo a contas à ordem a preços mais atractivos, passando até pela possibilidade de manter depósitos em moedas estrangeiras.

Os bancos apostam cada vez mais em pacotes de benefícios vantajosos para quem está fora de Portugal por tempo indeterminado, oferecendo muitas vezes isenção de anuidades de cartões, gestores de conta em Portugal, descontos na subscrição de serviços, entre outros.


Bancos como o Millennium BCP, por exemplo, têm pacotes básicos e prestige para os seus clientes residentes no estrangeiro, além de terem serviços exclusivos para aqueles cujo país de residência já não é Portugal. "O aumento da emigração, particularmente no início da presente década, e a crescente globalização levaram a que os residentes no exterior se tornassem uma realidade ainda mais importante para o negócio de retalho em Portugal", referiu ao i fonte oficial do banco. "Para potenciar este negócio de-senvolvemos um novo modelo, assente na proximidade e no incremento da relação com as comunidades portuguesas."

O Banif, por seu lado, aposta sobretudo nas contas poupança e numa oferta variada de seguros para quem é emigrante. Um dos produtos, a Poupança Emigrante, permite que os aforradores constituam poupanças em várias moedas estrangeiras, com uma remuneração que pode chegar a 1,5% ao ano, consoante a opção e a moeda escolhidas. "Além destes produtos, o banco disponibiliza uma linha de apoio para os clientes residentes no estrangeiro, com horários diferenciados", esclarece fonte oficial do Banif. "Na generalidade são disponibilizados aos nossos clientes emigrantes os restantes produtos e serviços comercializados pelo Banif - Grupo Financeiro."
No mesmo sentido, o BPI tem um vasto leque de produtos para não residentes, com destaque para as contas dirigidas ao público mais jovem. Clientes entre os 13 e os 25 anos, que optem pela Conta Jovem 13-25, por exemplo, exigem um montante mínimo de apenas 25 euros, garantem acesso gratuito aos serviços de internet e à domiciliação de pagamentos periódicos.

O mesmo acontece com a Caixa Geral de Depósitos, que tem pelo menos dois cartões de crédito destinados a clientes que residam no estrangeiro - um com uma oferta-base e outro com uma oferta prestige -, bem como várias contas a prazo que oferecem uma taxa de juro fixa para diversas maturidades. A CGD dá ainda acesso a todos os serviços bancários via internet: transferências, débitos directos, extractos bancários passam a estar à distância de um clique. A estas opções junta-se, naturalmente, a possibilidade de ir a uma agência da Caixa em países onde o banco já está presente, como é o caso de França, Luxemburgo ou Espanha. As sucursais oferecem-lhe exactamente os mesmos serviços que em Portugal, segundo a informação disponibilizada no site do banco.

Quanto ao Novo Banco, a oferta está em linha com a dos restantes bancos: soluções de poupança com rentabilidade atractiva, cartões de débito e crédito com condições vantajosas e exclusivas a residentes do estrangeiro, um gestor de conta sempre disponível, directamente de Portugal, possibilidade de envio de dinheiro directamente para a conta do Novo Banco em Portugal e ainda contas à ordem com cartões de débito e crédito associados, bem como possibilidade de acordar descoberto bancário e descontos em alguns tipos de seguros. Fonte do Millennium BCP revelou que a aposta numa estratégia específica para os emigrantes tem permitido, sobretudo nos últimos dois anos, impulsionar "o crescimento da base de clientes", bem como o  aumento de "valor dos fluxos de transferências para Portugal". Até ao fecho da edição não foi possível obter reposta das restantes instituições.

 

Ver Jornal I, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios