FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2014
Afinal, que país é este?
2014-06-18
Não pode ser um país só para velhos, mas no último ano partiram quase 130 mil portugueses e o número de nascimentos caiu para um mínimo histórico

A baixa da natalidade e a emigração estão a reduzir o número de habitantes. Só no último ano partiram quase 130 mil portugueses. Mas um país não pode ser só para velhos. Sem população ativa suficiente não haverá uma segurança social sustentável e, por isso, o professor Jorge Malheiros explica, à TVI, como é possível traçar novos caminhos.

A começar por criar a "expetativa de que o país consegue progredir", o que fará subir, mesmo que ligeiramente, a natalidade - como já aconteceu, aliás, na década de 90 - e também atrair mais imigrantes; fazendo também diminuir os portugueses que deixam o país. 

Mas mesmo para aqueles que já foram é preciso delinear estratégias: "É preciso criar ligações com a nação além fronteiras", explica o professor da Faculdade de Letras da Universidade Lisboa. Porque esses portugueses têm conhecimentos, "acumularam experiência lá fora" e são uma mais-valia para o país. 

"Mas a estratégia tem de ser coordenada: não pode ser algo feito pelo partido A ou B, ou pelo organismo público C ou D. É preciso uma estratégia integrada para atraí-los de novo a Portugal", conclui Jorge Malheiros.

Ver TVI24, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios
ceg Logo IS logo_SOCIUS Logo_MNE Logo_Comunidades