FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2013
Comunidade portuguesa no País de Gales reclama aulas de português
2013-08-15

A comunidade portuguesa no País de Gales, no Reino Unido, está a organizar-se para reivindicar aulas de português para as crianças e melhorar a imagem na região de Wrexham, disse uma das promotoras, Iolanda Viegas.

Para 26 de setembro está marcado um workshop com a presença da coordenadora do ensino do Português no Reino Unido, Regina Duarte, da coordenadora regional do programa de apoio aos alunos que têm o inglês como língua adicional, Sherley Berry, a escritora Isabel Mateus, e representantes das escolas e autoridades locais.

"Todas as outras comunidades têm apoio menos a nossa: nas escolas há aulas de polaco e de chinês. Também queremos que as escolas tenham aulas de português", argumentou Iolanda Viegas.

Ao atrair encarregados de educação, esta ativista espera por todas as partes interessadas em contacto para que esta aspiração se concretize em breve.

Há 13 anos na maior cidade do norte do País de Gales, onde começou por trabalhar em fábricas, Iolanda Viegas tornou-se ao longo do tempo intérprete voluntária e uma fonte de socorro quando os portugueses têm problemas com os serviços públicos.

Recentemente, aumentou na região o número de portugueses, que se estima rondar um milhar, que chegam para trabalhar em unidades industriais da zona, ampliando de um para três os estabelecimentos comerciais portugueses.

Iolanda Viegas sente que há necessidade de unir a comunidade e aproximá-la das instituições e habitantes galeses.

"Queremos acabar com as barreiras linguísticas e precisamos de identificar as pessoas com problemas. Queremos aulas de inglês para adultos e português para as crianças em idade escolar", disse à Lusa.

Para outubro, aproveitando um apoio do Instituto Camões, está a organizar uma noite de fados.

O objetivo é melhorar a imagem da comunidade em Wrexham, onde a "mentalidade retrógada e fechada" de muitos nativos, lamenta Iolanda Viegas, faz surgir atitudes xenófobas.

Diário de Notícias da Madeira, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios