FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2013
Deputado Carlos Pascoa alerta emigrantes. “Portugueses precisam conhecer o Brasil antes de viajar para cá"
2013-03-18

O Deputado Carlos Pascoa está mais uma vez... Eleito pela emigração ele visita a Comunidade e os varios Consulados e vice-Consulados de sua área eleitoral. A primeira cidade visitada, no último fim de semana foi Fortaleza, onde, no Vice-Consulado teve encontro com Francisco Brandão e constactou o bom funcionamento dos equipamentos digitais eletronicos de emissão de documentos -de identidade e passaportes. assim como o bom funcionamento geral da instituição, com atendimento adequado e rapido.  No sábado à tarde manteve contacto com figuras da comunidade e esteve com o jornalista Graciano Coutinho, concedendo na oportunidade entrevista a "Portugal Sem Passaporte". Foi uma conversa franca, sobre crise financeira, valores politicos, comunitários e sobretudo as relações luso-brasileiras, com enfoque centralizado na polemica entrada de arquitetos e engenheiros portugueses e que no Brasil encontram entraves no reconhecimento profissional.

O tema principal referiu-se à nova emigração, aos portugueses que recentemente chegaram ao Brasil e estão a encontrar severas dificuldades. Aqui, Carlos Pascoa é categórico:"As pessoas que se deslocaram e estao ainda a vir para o Brasil estão muito mal informadas. Lá (em Portugal) e aqui (no Brasil), que nao procuram as informações no local adequado. Mas, primeiro, o problema é lá...seja um jovem formado ou tenha ele a profissão que tiver... A primeira medida que ele deve tomar a partir do momento em que decide vir para o Brasil, é: Primeiro contactar alguem que conheça bem o Brasil ou ir ao Consulado Brasileiro conversar com alguém e saber quais as condições de trabalho e depois fazer as coisas como devem ser...Muitos não fazem isso, decidem vir de qualquer maneira e as consequencias são em maioria desastrosas...

Os que vieram orientados - e Pascoa cita alguns exemplos - já estao trabalhando na sua área, embora ainda com problema de regularização de inscrição na Ordem, mas estao trabalhando e recebendo seus salários e vivendo a sua vida. Alguns deles (engenheiros) estão a fazer adaptação de algumas cadeiras que o Conselho e a Ordem exigem. Esses vieram de Portugal sabendo das dificuldades e sabendo o que teriam de fazer.

Lamentavelmente a maioria dos portugueses , compram uma passagem, "pegam" um avião, e chegam ao Brasil achando que sabem tudo e nem o Consulado de Portugal procuram...e ficam por aí, rodando à procura de um emprego... Não é assim, as coisas como eles querem e cada país tem as suas regras. É verdade que existem muitas reclações em relação ao Brasil, não vou entrar no mérito... nem o poderia fazer.

Minha função é tomar conhecimento dos problemas e tentar resolve-los. Mas esclareço que o Ministro Paulo Portas está envolvido num processo para tentar encontrar uma solução com o Brasil, sobretudo com relação a médicos, engenheiros e arquitetos e eu, como Presidente do Grupo Parlamentar de Amizade POrtugal/Brasil também estou envolvido nisso e estaremos brevemente a convite da Camara dos Deputados, em Brasilia, em maio e o nosso primeiro ponto que temos na agenda, no Congresso Brasileiro - onde existe um grupo homonimo - discutir e tratar desse problema, tentando influenciar e possibilitando um acordo que permita o acesso desses profissionais ao mercado do Brasil"

De Fortaleza o Deputado Carlos Pascoa segue para Natal, Recife, Salvador, São Paulo, Santos e Rio de Janeiro

O Povo online, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios