FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2013
Associações portuguesas mobilizam-se para promover recenseamento eleitoral dos emigrantes em França
2013-02-04

Diversas associações e estruturas da comunidade portuguesa em França estão a intensificar a mobilização para preparar as eleições municipais e europeias de 2014, apelando aos portugueses emigrantes naquele país para que se inscrevam nos cadernos eleitorais.
Esta preparação acontece à escala nacional e local, envolve associações, autarcas e outros eleitos, os consulados portugueses em França, instituições privadas, como bancos e outras empresas, e ganha forma em folhetos informativos, reuniões, eventos e encontros, a par de campanhas de áudio e vídeo a difundir nos meios de comunicação franceses e da comunidade portuguesa.
Em declarações à agência Lusa, o presidente da Coordenação das Coletividades Portuguesas de França (CCPF), José Cardina, afirmou que "o trabalho de apelo à participação cívica e política da comunidade é uma tarefa de todos os dias para as associações, mas que se intensifica quando se aproximam momentos eleitorais".
Desde 2001 que os portugueses residentes em França - a par dos outros imigrantes no país originários de países da União Europeia - podem votar aí nas eleições municipais e nas eleições para o Parlamento Europeu.
De acordo com as associações, que citam dados do Ministério do Interior francês, dos quase 500 mil mono nacionais portugueses que se estima que vivam em França, pouco mais de 80 mil estão inscritos nos cadernos eleitorais.
Para o presidente da associação de autarcas portugueses em França Cívica, Paulo Marques, estes números mostram que se mantém a "necessidade antiga" de "mobilizar os portugueses em França para votarem".
"Estamos aquém da nossa devida expressão eleitoral, mas é preciso sublinhar que partimos do zero quando começámos a fazer estas campanhas, no ano 2000", explicou.
Para as eleições de 2014, a Cívica propõe "reciclar" os vídeos - "curtos, explicativos e intemporais" - que elaborou em 2007, em colaboração com o Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP), e pô-los a circular nos canais internacionais das televisões portuguesas, nos outros média da comunidade, e também nas redes sociais.
Para o presidente da associação Activa - Grupo de Amizade França Portugal, Hermano Sanches Ruivo, as eleições municipais de 2014 em França "são as mais importantes para a comunidade portuguesa" no país.
"Os portugueses em França são, de longe, os estrangeiros comunitários mais numerosos. É preciso que este peso numérico se traduza em peso eleitoral. E é fundamental que isto aconteça antes de os cidadãos não comunitários terem poder de voto", defendeu.
A associação Activa está também a concluir uma estratégia de promoção do recenseamento eleitoral entre os portugueses de França, e vai juntar, no próximo dia 15, "numa reunião técnica e apartidária", representantes "das principais redes da comunidade", públicas, privadas e associativas, para "desenhar uma campanha nacional de mobilização".
Este encontro é um apelo para que haja "uma mobilização conjunta" da comunidade, para, por um lado, "mostrar a França que as estruturas portuguesas são capazes de se organizar", e, por outro, "ensaiar outras campanhas, como, por exemplo, pela defesa da língua portuguesa".

Jornal da Madeira online, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios