FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2013
Crónicas soltas de Toronto: Comunidade açoriana está mais visível
2013-01-29

A Comunidade portuguesa do Canadá tem ganho nos últimos tempos maior visibilidade, desde logo com a mediatização da candidatura de Charles de Sousa ao cargo de Primeiro-Ministro da Província, mesmo ficando pelo caminho, ela constituiu uma forma de afirmação política e social da população lusa em Ontário.
O livro editado em Toronto «Os Portugueses no Canadá: Desafios da diáspora e a integração» revela que a comunidade portuguesa no Canadá está a quebrar a invisibilidade que a caracterizava desde a primeira vaga de emigração oficial, iniciada há mais de 50 anos.
Esta é uma das conclusões sobre a evolução da emigração portuguesa no Canadá por parte do nosso conterrâneo e conceituado investigador e professor da Universidade da Colúmbia-Britânica-Okanagan, José Carlos Teixeira, em co-autoria com Victor da Rosa, trabalho que vem demonstrar que a nova geração dos portugueses tem tido um papel muito relevante no Canadá, um país multicultural com inúmeras etnias que convivem pacificamente e contribuem para o progresso desta grande nação.
Como se sabe, os açorianos representam uma fatia substancial dentro da comunidade lusa, que agora se vê inundada por muitos brasileiros. São inúmeros os casos de portugueses, sobretudo da terceira e da quarta geração, que se têm afirmado nas áreas do saber, da economia, da cultura, do desporto e da política.
Sem dúvida que a presença portuguesa no Canadá mostra já um elevado nível de assimilação, mas também poderá correr o risco de diluição da identidade portuguesa, pelo que se torna importante estar atento a esta situação.
De acordo com o Prof José Carlos Teixeira, embora as estatísticas oficiais canadianas calculem um número em 350 mil portugueses no país, estima-se que o número real seja na ordem dos 550 mil, em que mais de 80% residem nas áreas metropolitanas de Montreal, Toronto, Winnipeg, Edmonton, Calgary e Vancouver.
Aquele livro demonstra que em algumas cidades, os portugueses estão organizados em «Little Portugal», definido com base num conceito sociológico que abarca a concentração de um grupo de emigrantes numa sociedade de acolhimento, onde vivem como se fosse no país de origem, com os seus comércios, igreja, e outras instituições. A sua sobrevivência depende da dimensão da comunidade que a suporta, dando como exemplo o bairro português de Toronto, enquanto área de grande concentração de luso-canadianos,
Nessas zonas, percorremos as suas ruas e entramos nas suas lojas e restaurantes e nem necessitamos de falar o inglês, dado que a língua de Camões domina a comunicação. É possível comer uma esmerada refeição com ementa tipicamente da nossa terra ou adquirir produtos provenientes dos Açores ou do Continente, como uma saborosa laranjada da Melo Abreu ou o característico queijo de S. Jorge.
Os órgãos de comunicação social têm um papel determinante na afirmação da comunidade portuguesa e as diversas associações sociais e culturais são o suporte na defesa da cultura e da língua portuguesa.
Percorrer essas ruas da cidade de Toronto, ficamos com a sensação que estamos a andar pelas artérias de Ponta Delgada.

Autor: APC

Correio dos Açores, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios
ceg Logo IS logo_SOCIUS Logo_MNE Logo_Comunidades