FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2012
Engenheiros são os que têm mais autorizações de trabalho no Brasil
2012-12-11
Engenharia e construção de edifícios foram os setores mais contemplados com autorizações de trabalho a portugueses no Brasil entre janeiro e setembro deste ano. Sindicatos e associações profissionais consideram que a entrada de trabalhadores qualificados europeus, favorece o investimento e a produtividade.

Engenharia e construção de edifícios foram os setores mais contemplados com autorizações de trabalho a portugueses no Brasil entre janeiro e setembro deste ano. Sindicatos e associações profissionais consideram que a entrada de trabalhadores qualificados europeus, favorece o investimento e a produtividade.
Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, entre janeiro e setembro deste ano, 1.032 portugueses receberam autorização de trabalho temporário no Brasil.
As carreiras mais contempladas foram os serviços de engenharia (97 vistos), construção de edifícios (74), atividades de consultoria em gestão empresarial (62) e fabrico de estruturas metálicas (44). Para conseguir esta autorização, no entanto, é necessário um pedido da empresa contratante junto ao Ministério do Trabalho. O tempo de permissão varia e pode ser limitado ou depender da duração do contrato de trabalho.
Apesar de ser o mais contemplado, o setor da engenharia é polémico, já que os diplomas de universidades portuguesas e brasileiras não são compatíveis, sendo necessária uma adaptação da formação do emigrante para exercer a profissão no Brasil.
Por outro lado, os grandes eventos desportivos que irão ocorrer no país, como o Mundial de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, tem incentivado essa procura nos mercados da engenharia e construção. No final de novembro, o Governo brasileiro emitiu uma portaria que acelera a entrada de trabalhadores para esses eventos, com visto mais rápido e válido até ao fim do trabalho, sendo a inscrição feita pela internet.
Enquanto os vistos de viagem cultural e de estudos e de trabalho sem remuneração tiveram o seu pico de emissão em 2009 e 2008, respetivamente, com posterior redução, os vistos permanentes, de técnicos e de estudantes (incluindo graduação e pós-graduação) registaram maior volume este ano.
Os vistos emitidos para estudantes somaram 1.005 este ano, até outubro, face aos 944 do ano passado, que havia sido o maior número até então. O mesmo ocorreu com os cientistas, professores e técnicos, com 1.342 vistos este ano, até outubro, mais do que os 861 de 2011.
Entre os vistos permanentes, o movimento é parecido: 1.107 vistos entre janeiro e outubro deste ano, face aos 986 do ano passado. Neste caso, é de realçar que as emissões quase duplicaram entre 2010 - com 518 vistos - e 2011. De acordo com o ministério, entre os vistos emitidos dos três consulados brasileiros em Portugal (Lisboa, Porto e Faro) também contam os pedidos feitos por estrangeiros não portugueses. O consulado em Faro foi aberto este ano.

Mais investimento e produtividade

Para responsáveis sindicais e de associações profissionais, a nova migração de trabalhadores qualificados europeus, incluindo portugueses, que fogem da crise económica, favorece o investimento e a produtividade no Brasil. "Para o país de origem também é bom, pois, em geral, este capital social está esterilizado e, ao sair, produz riqueza e transfere parte dela de volta, além de facilitar a integração produtiva e os fluxos comerciais e de conhecimento", disse à Lusa Emerson Casali, gerente-executivo de Relações do Trabalho da Confederação Nacional da Indústria (CNI) do Brasil.
O mesmo responsável sublinha que esses trabalhadores chegam para suprir a carência de mão de obra qualificada, principalmente em setores da engenharia e da tecnologia da informação.

Mundo Português, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios