FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2012
Empresa francesa recruta médicos portugueses
2012-11-15
Clínicos estão interessados em emigrar

Uma empresa francesa de recrutamento vai estar em Portugal para apresentar o sistema de saúde em França depois do interesse manifestado por médicos portugueses em trabalhar naquele país.

O diretor da empresa Riviere Consulting disse hoje à agência Lusa que há cerca de um ano e meio a empresa fez uma prospeção de mercado em Portugal, mas «com pouco sucesso».

Mais recentemente, a empresa recebeu pedidos de informação de cerca de 15 médicos portugueses que mostraram interesse em conhecer o sistema de saúde francês e a empresa decidiu realizar uma sessão de informação em Portugal, adiantou Matthieu Riviere.

Muitos dos contactos recebidos são de médicos com cerca de 50 anos que se queixam, sobretudo, da elevada carga fiscal que existe em Portugal. Já os jovens manifestam preocupação com o futuro, relativamente às colocações, à aprendizagem e evolução profissional.

Para esclarecer os profissionais sobre o processo de recrutamento, a empresa vai realizar uma conferência nos próximos dias 23 e 24, em Lisboa, durante a qual divulgará o tipo e as oportunidades de carreira a que os médicos podem aceder e as respetivas remunerações.

Segundo Carla Machado, responsável da empresa pelo recrutamento em Portugal, já estão mais de 100 médicos inscritos.

«Se dez aceitarem ir trabalhar em França já ficamos muito contentes», acrescentou Matthieu Riviere.

A maioria das vagas (cerca de 70%) é para o sistema de saúde público.

Um médico português que inicie carreira em França ganha um salário mensal líquido entre os 3.500 euros e os 4.000 euros, referente a 35/39 horas semanais.

As prevenções e urgências são pagas adicionalmente e os médicos têm direito a cinco semanas de férias pagas.

No setor privado as remunerações são mais elevadas, mas a empresa não consegue indicar o valor exato, que depende do tipo de posto e da instituição.

Os especialistas mais procurados são psiquiatras, médicos do trabalho, radiologistas, cardiologistas, ginecologistas, médicos de família, gastrenterologistas, pneumologistas, pediatras, oftalmologistas e cirurgiões

Sobre as razões que levaram a empresa a recrutar médicos em Portugal e noutros países europeus, como Espanha, Itália, Bulgária e Grécia, Mattieu Riviere explicou que se deve à «diminuição significativa» do número de diplomados em medicina.

«Há 15 anos que a França começou a ter problemas, porque o número de formados que saía das universidades, perto de 100 mil por ano, era insuficiente para responder às necessidades do sistema de saúde, uma situação agravada com a saída dos médicos para a reforma», sustentou.

O interesse nos médicos portugueses deve-se à existência de uma vasta comunidade portuguesa em França, à reconhecida formação académica dos médicos e à facilidade de integração e adaptação à cultura francesa.

A empresa recruta, em média, cerca de 150 médicos por ano, não conseguindo por vezes, pelo menos com a urgência necessária, preencher todas as vagas pedidas pelos clientes.

A Riviere Consulting espera conseguir desenvolver em Portugal um projeto a médio/longo prazo: «Não se trata de uma contratação esporádica, mas sim um primeiro contacto para avaliar o real interesse dos médicos portugueses por oportunidades de carreira em França».

Os médicos deverão ter o diploma de medicina e especialização da UE, falar francês e inscrever-se na Ordem dos Médicos francesa.

Tvi24, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios