FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2012
Emigração: Portugueses "não podem ser demasiado otimistas" sobre Macau
2012-06-10
A presidente da Casa de Portugal em Macau (CPM) disse hoje que as pessoas não podem ser demasiado otimistas" ao quererem emigrar para Macau porque há "dificuldades linguísticas" que limitam o acesso ao mercado de trabalho.

"As pessoas não podem ser demasiado otimistas e não podem pensar que Macau é a solução para tudo. Não é, e quando chegam aqui enfrentam algumas dificuldades. De qualquer modo, Macau só tem a ganhar entrosando as pessoas que vão chegando com preparação e 'know-how'", disse Amélia António, à margem das comemorações do 10 de junho.

A presidente da CPM respondia assim a uma questão sobre a nova vaga de emigrantes portugueses para Macau, mostrando "cautela" sobre as expetativas dos que depositam esperanças no desenvolvimento económico da Região em contraste com a crise em Portugal e na Europa.

"Eu não sei se há espaço para toda a gente. Sou muito cautelosa nesse tipo de observação porque acho que Macau precisa de gente qualificada e de know-how e a emigração que temos tido para Macau nos últimos tempos é de gente jovem, qualificada, capaz de dar um bom contributo a Macau", afirmou.

Por outro lado, explicou, "há problemas linguísticos e há problemas de acesso ao trabalho porque este tipo de pessoas que chega qualificada, mas não dominando a língua local, tem grandes dificuldades de enquadramento em instituições oficiais e fica com o seu universo de trabalho um bocado limitado à área privada".

"E a área privada que domine a língua portuguesa não é tão grande, e muitas das empresas de Macau, mesmo que usem o inglês, não estão tão vocacionadas para terem pessoal tão qualificado ou tão especializado, o que faz com que nem sempre seja fácil enquadrar os que vão chegando", acrescentou.

Dinheiro Vivo, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios