FR

Link para inquéritoO regresso como emigração: o caso dos jovens adultos portugueses

Início / Recursos / Recortes de imprensa 2012
Cavaco Silva apela aos jovens portugueses para que não emigrem
2012-05-26
O Presidente da República lançou um apelo aos portugueses para que permaneçam no país. Palavras de Cavaco Silva em Sydney, na Austrália, durante uma visita oficial ao país, precisamente no dia em que tem um encontro com a comunidade portuguesa. O Presidente admitiu que há jovens portugueses qualificados a procurar oportunidades de emprego na Austrália, mas disse preferir que estes fiquem em Portugal.

Durante uma visita à exposição aborígene da Art Gallery de Nova Gales  do Sul, em Sidney, o Presidente da República comentou a quantidade de portugueses  que tem encontrado ao longo da sua visita oficial de dois dias à Austrália,  que hoje termina, e foi questionado sobre se há muitos portugueses a tentar  atualmente emigrar para este país. 

"A informação que o embaixador nos dá é que tem sido consultado sobre  as oportunidades por parte de alguns jovens qualificados, mas eu prefiro  que continuem na nossa terra, que fiquem em Portugal", apelou. 

O chefe de Estado salientou que Portugal pode, por outro lado, aproveitar  as potencialidades da comunidade portuguesa na Austrália - que estimou em  cerca de 50.000 pessoas -, à qual oferece hoje à noite uma receção, na qual  são esperadas centenas de pessoas. 

"Parece que há pessoas que vão deslocar-se milhares de quilómetros,  incluindo da Nova Zelândia para estar aqui hoje", sublinhou.  

Cavaco Silva relatou aos jornalistas um dos contactos inesperados que  teve com esta comunidade: "Ontem (sexta-feira, em Camberra) desci do meu  quarto no hotel e estava um grupo de jovens e outros menos jovens com ascendência  todos de Loulé, do meu concelho". 

Já em Sidney o chefe da segurança australiana, que transportou o Presidente  da República entre o aeroporto e o hotel, também surpreendeu Cavaco Silva  com um "Bom dia, senhor Presidente". 

Outra surpresa aguardava hoje o Presidente no museu: dois quadros de  um pintor português do século XIX, Arthur Loureiro, que nasceu no Porto  e morreu em Braga, tendo vivido em vários pontos do mundo, incluindo Merlbourne  (Austrália). 

Sobre a arte aborígene - parte dela gravada em casca de árvore - que  teve oportunidade de conhecer em pormenor, acompanhado da mulher, Maria  Cavaco Silva, o Presidente destacou a técnica e a minúcia, bem como o respeito  dos australianos por esta comunidade. 

A agenda do chefe de Estado começou hoje com um encontro, sem declarações,  com o Governador da Nova Gales do Sul, Tom Bathurst, onde Cavaco Silva teve  oportunidade de passear nos jardins junto ao rio, seguindo depois para um  passeio de barco pela baía de Sidney a convite das autoridades australianas.

Antes da receção à comunidade portuguesa, à noite, o Presidente da República  encontra-se com um grupo de empresários lusos. Apesar das relações económicas  entre os dois países ainda serem modestas, Cavaco Silva destacou que existe  um 'superavit', ou seja, Portugal exporta mais para a Austrália do que importa  para este país com cerca de 22 milhões de habitantes. 

Lusa

SIC Notícias, aqui.

 

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios