FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2012
Governo português foi informado pelos EUA de alteração na política de vistos
2012-02-28
O embaixador dos Estados Unidos em Lisboa justificou nesta terça-feira a mudança do processo de obtenção de vistos de imigração por cidadãos portugueses com uma tentativa de poupar recursos e disse que o Governo português foi informado antes do anúncio.

Segundo Allan Katz, que falava aos jornalistas antes de uma sessão sobre "O futuro das relações União Europeia - Estados Unidos da América" na Reitoria da Universidade do Porto, a política de obtenção de vistos só é alterada para quem quer um documento que permita residência e não para estudantes ou turistas. 

A embaixada dos Estados Unidos em Lisboa e o consulado-geral em Ponta Delgada vão deixar de emitir vistos de imigração para portugueses, passando o processo a ser assegurado pela representação norte-americana em Paris. 

"Se a escolha é imigrar, o que significa que, em último caso, se vão tornar cidadãos ou residentes permanentes nos Estados Unidos, sim, têm de ir a Paris por sua conta. Caso contrário, nada muda", disse o embaixador dos Estados Unidos em Lisboa, Allan Katz. 

O representante norte-americano lembrou que "é importante compreender o quão limitada é a mudança", destacando que o que aconteceu foi a "consolidação de uma série de serviços em todo o mundo simplesmente porque, como todos os governos", os Estados Unidos estão a "tentar poupar algum dinheiro". 

Um comunicado da embaixada em Lisboa divulgado na semana passada anunciou que a partir de 1 de Março "todas as novas entrevistas para os vistos de imigrante nos EUA e da lotaria de vistos para residentes de Portugal e França passarão a ser efectuadas na embaixada em Paris". 

Entretanto, o Governo português já veio desvalorizar a alteração na política de vistos de residência dos Estados Unidos, sublinhando que "a prioridade" são os vistos de turismo e que a medida "não é dirigida". 

Em declarações à Lusa, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, explicou que "a prioridade" na negociação com os Estados Unidos tem sido a "manutenção de Portugal no Programa Visa Waiver", que corresponde ao antigo visto de turismo, regula as estadas curtas, permitindo a circulação de cidadãos entre Portugal e Estados Unidos sem visto e obriga apenas à utilização de um passaporte electrónico e preenchimento de um formulário. Em 2010, este sistema foi utilizado por "156 mil pessoas", referiu.  

Público, aqui.  

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios