FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2011
Comunidade do Facebook atrai 20 mil portugueses em busca de oportunidades no Brasil
2011-08-15

 

Por: Graciano Coutinho - Jornalista | Comentários: Comente

 

Criada no Facebook por um empresário português que vive em São Paulo, a página "Empregos no Brasil para Estrangeiros" reuniu mais de 20 mil seguidores em apenas duas semanas.

Do total de membros da comunidade, 90% são portugueses, principalmente jovens entre 25 e 34 anos. Mais da metade dos interessados são mulheres.

O empresário David Bernardo, CEO da loja virtual HipXik, disse à Agência Lusa que montou a página para um teste, mas os primeiros seguidores da comunidade começaram a surgir poucos minutos após a criação, mesmo sem nenhum tipo de divulgação.

A inspiração para a experiência surgiu de um problema que Bernardo diz enfrentar: a dificuldade para encontrar profissionais de marketing e de outras áreas relacionadas ao e-commerce.

"Está muito difícil contratar profissionais qualificados no Brasil. Os salários estão muito elevados, e a rotatividade das pessoas, como o mercado está aquecido, é muito grande", afirmou o empresário.

Ao mesmo tempo, ele recebeu constantemente e-mails de portugueses que, devido à crise no seu país, queriam mudar-se para o Brasil. "Tive a ideia de criar uma página para permitir que essas pessoas e as empresas que precisam delas se encontrassem", explica.

A forte adesão à página surpreendeu o empresário, que viu nela uma oportunidade de negócio: Bernardo começou a montar uma empresa de recolocação profissional.

A firma terá serviços voltados principalmente para empresários que desejam fazer recrutamento em Portugal. A ideia é fazer parcerias com empresas portuguesas de recrutamento para seleccionar os finalistas para a vaga sem que eles precisem sair de Portugal.

A empresa também cuidará da burocracias e da adaptação do novo funcionário no Brasil, desde a obtenção do visto até à escola para os filhos. Os seleccionados, porém, comprometem-se a ficar um tempo mínimo no posto de trabalho.

O serviço será gratuito para quem estiver procurando emprego, mas as oportunidades dependerão da necessidade das empresas.

O empreendedor vê quatros áreas como as mais promissoras para quem procura trabalho: engenharia, gestão de empresas, marketing em Internet (em particular no e-commerce) e tecnologias da informação.

"Isso não vai empregar toda a população portuguesa", assinala Bernardo, ressaltando que no Brasil há "necessidades específicas para posições específicas".

Bernardo diz que já foi contratado por grandes empresas brasileiras, na área da Internet, interessadas em trazer funcionários de Portugal. Agora, procura diálogo com autoridades dos dois países para viabilizar o negócio.

O Povo online, aqui.

 

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios