FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2011
Luanda e Tóquio são as duas cidades mais caras do mundo para expatriados
2011-07-12
A consultora Mercer realizou um estudo que analisa o custo de vida para os trabalhadores internacionais em 214 cidades do mundo, avaliando 200 produtos básicos, incluindo alojamento. O estudo revela o "top 10" das cidades mais caras do mundo para os trabalhadores internacionais.

A consultora Mercer realizou um estudo sobre o custo de vida em 214 cidades do mundo, para os expatriados. O estudo tem como referência os preços da cidade deNova Iorque e analisa 200 produtos básicos, incluindo o alojamento.

Para além do preço das habitações, o estudo avalia também outros bens de consumo habitual entre os estrangeiros, como os meios de transporte, a alimentação, o vestuário, a mobília, e o lazer.

"A flutuação da moeda, a inflação, a instabilidade política e os desastres nucleares são factores que influenciam o custo de vida" fazem variar o custo de vida, que depende de vários factores, explicou Rafael Barrellero, da Mercer.

Ao antigo "top 10" das cidades mais caras do mundo para os trabalhadores internacionais, juntam-se agora duas novas cidades, Singapura, na oitava posição, eSão Paulo, que ocupa o 10º lugar.

No topo da lista está Luanda, que se revela a cidade mais cara do mundo para viver como expatriado. Já na Europa, Moscovo é a capital europeia onde se paga mais e ocupa o número 4 no "top ten". Genebra, na Suíça, é a 5ª cidade mais cara no "top 10", e Zurique ocupa o 7º lugar.

Copenhaga é a cidade da União Europeia onde os expatriados pagam mais para viver, e ocupa o número 17 na lista.

No Médio Oriente a cidade israelita Tel Aviv é a cidade mais cara, e apresenta-se no 24º lugar. No Brasil, São Paulo é a cidade mais cara para se viver.

Nos Estados Unidos, Nova Iorque é a cidade com pior qualidade de vida para os expatriados, devido aos elevados preços. A "big apple" ocupa o 32º lugar dos países mais caros na lista.

Segue-se Tóquio no Japão, que é a cidade mais cara da Ásia, e a segunda cidade mais cara do mundo. Osaka, também no Japão, aparece no 6º lugar.

Na China, Hong Kong é a nona cidade mais cara do "top ten".

Em África, N'Djamena é a terceira cidade mais cara do mundo. Na Austrália, Sydney ocupa o 14º lugar na lista.

No outro extremo, encontram-se as cidades mais baratas para os expatriados viverem. Karachi, no Paquistão.

Por continentes, Skopje, na Macedónia, é a cidade mais acessível do continente europeu, e na lista dos 214 países ocupa o 200º lugar.

No Reino Unido, Belfast é a melhor cidade para se viver na União Europeia, em termos de custo de vida. Ocupa a 178ª posição. Na Arábia Saudita é escolhida Yeddah como a cidade mais económica do Médio Oriente, que se situa no 185º lugar.

A capital de Nicarágua, Managua, é a segunda cidade mais barata do mundo e a primeira na América. Nos Estados Unidos, Winston Salem está na 197ª posição entre os 214 países.

Em África destaca-se Adis Abeba, na Etiópia, aparece no 211º lugar. Na Austrália, Auckland situa-se no 118º lugar.

Negócios online, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios