FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2011
Governo dos Açores lança programa para prevenir deportações do Canadá e EUA
2011-04-27
A prevenção da deportação de cidadãos açorianos do Canadá e dos Estados Unidos, através da naturalização dos emigrantes nestes dois países, é o objectivo do projecto «LEGAL», que o Governo Regional dos Açores vai implementar. Nas últimas duas décadas foram deportados para o arquipélago mais de mil pessoas oriundas daqueles dois países, na maioria dos casos homens acusados de crimes relacionados com violência doméstica, álcool, droga e roubo.

O «LEGAL» (Legalization Effort of the Government of the Azores and Logistics) pretende sensibilizar para a "necessidade da naturalização", num esforço que pretende chegar às igrejas, escolas, clubes, associações, sindicatos, órgãos de comunicação social e outras instituições ligadas às comunidades emigrantes açorianas no Canadá e nos Estados Unidos.
A directora regional das Comunidades, salienta que este fenómeno "não vai parar", mas defende que pode ser minimizado através da naturalização dos emigrantes açorianos que estão devidamente legalizados naqueles países. Para Graça Castanho, é importante que este esforço seja coordenado e envolva todas as organizações das comunidades emigrantes nos Estados Unidos e Canadá, pelo que será disponibilizado material de apoio, em português e inglês, que permitirá uma acção concertada de sensibilização para a importância da naturalização.
A apresentação do programa, que decorreu no dia 18 deste mês, teve lugar numa altura em que se encontrava nos Açores o xerife de Boston County, Thomas Hodgson, responsável por um centro de detenção por onde passam muitos dos que são deportados para os Açores. Para preparar o regresso destes emigrantes ao arquipélago, este centro de detenção promove programas de saúde, educação e língua portuguesa, num esforço para facilitar a sua integração na sociedade açoriana que também inclui também conhecimentos sobre a sociedade que os vai acolher.
Desde 2000, este centro já recebeu 465 emigrantes que foram deportados para os Açores, e que ali receberam conhecimentos básicos que visam permitir a sua melhor integração social.
Na visita aos Açores, Thomas Hodgson aprofundou o conhecimento sobre o trabalho que tem sido feito ao nível da integração dos deportados, de forma a garantir mais condições de sucesso para as acções que são desenvolvidas naquele centro de detenção.

Xerife apoia o programa

Thomas Hodgson, assegurou o apoio ao programa. Em declarações à Lusa no final de uma reunião com o secretário regional da Presidência, garantiu que fará "tudo o que puder" enquanto parceiro do executivo açoriano na implementação no terreno do programa «LEGAL», sublinhando a importância de convencer os emigrantes de que a aquisição da cidadania norte-americana constitui o meio mais eficaz para combater eventuais repatriamentos devido à condenação pela prática de crimes nos Estados Unidos.
O xerife norte-americano acrescentou que se trata de uma iniciativa que pode contribuir para "minimizar" o problema das deportações, que, nas últimas décadas, se traduziu no envio para os Açores de cerca de mil emigrantes condenados pela justiça daquele país.
Por seu lado, o secretário regional da Presidência, André Bradford, valorizou a parceria que o governo açoriano tem mantido com o xerife de Bristol. Esta cooperação tem permitido, segundo André Bradford, "juntar a componente da segurança e das forças de segurança americanas à rede de apoio social que temos que manter nos Estados Unidos, particularmente direccionada para o apoio às famílias dos deportados".
Essa parceria vai ser "fundamental na implementação do programa «LEGAL»", que visa, enquanto "acção mais decidida e mais global", levar "a mensagem de que é preciso apostar na aquisição da cidadania norte-americana". "Vamos procurar, usando as associações locais, a rede que temos de contactos, incluindo o xerife de Bristol, fazer chegar às pessoas as respostas às perguntas que têm" sobre a matéria, acrescentou André Bradford.
Nesse sentido, salientou que, numa primeira fase, o programa vai disponibilizar "uma série de sessões informativas e de contactos nas comunidades, nas igrejas, durante as festividades principais, de maneira a atrair um máximo de pessoas possível".

Mundo Português, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios