FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2011
EUA: Palcus defende presença de congressistas da costa Leste no «Caucus» luso-americano
2011-03-23
O programa «Visa Waiver» e o recednte relançamento da facção política luso-americana no Congresso dos Estados Unidos foram dois dos assuntos que o presidente da Palcus levou na agenda de reuniões que realizou este mês com os congressistas luso descendentes Dennis Cardoza e Jim Costa, ambos democratas eleitos pela Califórnia, e Devin Nunes, republicano, também eleito pela Califórnia. Fernando Rosa encontrou-se ainda com o novo embaixador de Portugal em Washington, Nuno Brito.

O programa de estágios para luso-americanos, lançado em 1994 pela Palcus, foi um dos temas que Fernando Rosa levou na agenda de reuniões. O responsável pretendeu "abrir novas possibilidades" de estágios no Congresso e conseguiu que o congressista Jim Costa se disponibilizasse a apoiá-lo. "O seu gabinete irá abrir uma vaga para o estágio de um luso-descendente. Outros congressistas mostraram-se abertos a apoiar o programa", revelou a O Emigrante/Mundo Português.

Visa Waiver e Caucus

O «Visa Waiver», o programa do governo americano que permite a cidadãos de 36 países, entre os quais Portugal, viajarem para os Estados Unidos e ali permanecer por 90 dias, sem a necessidade de obtenção prévia de um visto, foi outro dos assuntos que Fernando Rosa apresentou aos congressistas luso-descendentes. "O programa é revisto a cada três anos, às vezes é automaticamente renovado, outras é reavaliado", explicou o presidente da Palcus, acrescentando que o «Visa Waiver», será revisto nos próximos 18 meses o que o levou a pedir "o apoio" dos congressistas, já que a Palcus espera que não haja "obstáculos" à sua renovação.
Outra questão presente nos encontros com os congressistas e com o embaixador de Portugal foi o «Caucus» Luso-Americano. Formado em 1995, o «Portuguese American Caucus» é facção política luso-americana no Congresso dos Estados Unidos e representa a comunidade e os interesses luso-americanos. Desactivado nos últimos oito anos, o «Caucus» luso foi relançado em Fevereiro, depois dos congressistas Dennis Cardoza e Jim Costa, terem aceite co-presidir àquela facção política.
"É um grupo que nos abre portas junto do Congresso americano e permite à comunidade luso-americana fazer uma certa «pressão». Depende dos membros do Congresso que aceitem geri-lo e agora os congressistas Jim Costa e Dennis Cardoza aceitaram liderá-lo", referiu Fernando Rosa, sublinhando que é importante "expandi-lo" para a costa Leste, já que ainda não inclui entre os seus membros nenhum congressista ligado à comunidade portuguesa naquela região.
"Ao haver dois congressistas da costa Oeste que aceitaram associar-se, é importante também incluir congressistas d costa Leste", frisou, revelando que estão já "a decorrer reuniões com gabinetes de membros do Congresso eleitos por aquela região, um dos quais é o congressista luso-americano Devin Nunes. "A Palcus teria todo o gosto em ver no movimento, todos os indivíduos que tenham uma ligação e interesses junto da comunidade luso-americana", afirmou Fernando Rosa.

Encontro de políticos em 2011

A organização em 2011 do encontro dos políticos luso-americanos eleitos, já realizada em 2009, foi outro dos pontos da agenda. Fernando Rosa revelou que a Embaixada de Portugal em Washington está a planear realizá-la novamente este ano e disse que a Palcus está disponível a apoiar a organização do evento, acrescentando que gostaria "que se realizasse na mesma semana da Gala, para criar uma diversidade de actividades na capital (americana)". "Se conseguíssemos juntar todos, teríamos mais impacto junto da comunidade americana, da imprensa e das autoridades portuguesas, e traríamos uma maior visibilidade à comunidade luso-americana", defendeu.
Outro ponta da agenda foi a apresentação da recepção a realizar no Congresso americano no Verão, para a qual são convidados os membros do «Caucus» e do grupo Amigos de Portugal no Senado, que tem por objectivo o debate do que foi feito no último ano na Câmara e no Senado americanos, a realização de contactos e a apresentação de questões de interesse para a comunidade. Ao embaixador Nuno Brito e aos três congressistas com que se encontrou, Fernando Rosa apresentou o evento e pediu apoio para a disponibilização das salas necessárias à reunião que espera vir a ter "o máximo de pessoas presentes, tanto da comunidade luso-americana, como de instituições oficiais", sublinhando que "o embaixador mostrou-se muito interessado" na realização do encontro.

Recepção ao novo embaixador

A reunião com Nuno Brito - que assumiu funções em Fevereiro último - serviu ainda para Fernando Rosa apresentar a Palcus ao novo embaixador de Portugal e transmitir-lhe a intenção da organização que preside em realizar uma recepção de boas-vindas. "O novo embaixador disse-me que parte dos seus objectivos passava por entrar em contacto com a comunidade luso-americana e nós dissemos que gostaríamos de facilitar esses contactos naquilo que nos fosse possível", referiu o presidente da Palcus, que considera "importante" haver uma "ligação às várias comunidades lusas nos Estados Unidos".
Referindo que o novo embaixador de Portugal "conhece bem o país" - Nuno Brito esteve seis anos na Embaixada em Washington (entre 1987 e 1993), naquele que foi o seu primeiro posto diplomático no estrangeiro e cinco anos na missão de Portugal junto das Nações Unidas, entre 1997 e 2002 - Fernando Rosa recorda que Pedro Catarino, anterior chefe da diplomacia portuguesa em Washington, "esteve sempre muito próximo da comunidade" e que os conselheiros da Embaixada mantém contacto com os portugueses e luso-americanos, o que permitem perceberem "o que há de bom e de menos bom" e ajudar a "resolver os problemas". 
A Gala da Palcus foi outro dos temas dos encontros que Fernando Rosa teve em mês com os congressistas e o novo embaixador de Portugal. O responsável revelou que os 20 anos da Palcus e os 15 anos da atribuição dos Prémios de Liderança, vão ser comemorados no decorrer da Gala Anual, que este ano se realiza a 12 de Novembro no National Harbour, em Maryland.
Fundada em 1991 em Washington, a PALCUS intervém junto dos órgãos do poder americano em assuntos de interesse para as comunidades luso-americanas. Desempenhou um papel relevante na adesão de Portugal ao «Visa Waiver», criou em 1994 um programa de estágios para luso-americanos, e realiza acções que visam o estreitar dos laços entre Portugal e os Estados Unidos e a divulgação do talento português naquele país, nomeadamente através da organização de uma Gala anual que premia pessoas que se destacaram nas suas áreas de actuação.
A Palcus tem um conselho de direcção formado por 13 pessoas que trabalham em regime de voluntariado. Para além do presidente Fernando G. Rosa, é integrado por Onésimo Almeida, professor catedrático na Universidade de Brown; Cyntia Marques Russo, advogada em Newark, especializada em questões de imigração; Odete Amarelo, professora doutorada de Fall River; Alda Petitti, mestre em Contabilidade; Maria Fraley, directora interina do Instituto de Estudos Lusófonos no Rhode Island College; António Gato, director-geral do banco BES nos Estados Unidos; Larry Mendes, executivo reformado; José Carlos Sousa, director de projecto no gabinete de planeamento e desenvolvimento económico da autarquia de Washington; Ângela Costa Simões, gerente de relações pública e marketing em San Rafael, Califórnia; John Bento, arquitecto, sócio de uma empresa de arquitectura e design em Rio Vista, Califórnia; Manuel Geraldo, sócio de um escritório de advocacia em Washington, e um dos mais antigos membros da Palcus. Pilar Coelho é a mais recente directora da organização, estando ligada à área da juventude.
Ana Grácio Pinto
apinto@mundoportugues.org

Mundo Português, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios