FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2011
Luxemburgo: panfleto xenófobo contra os portugueses volta a circular no país
2011-01-17
Um panfleto xenófobo contra os portugueses está a ser distribuído no Luxemburgo, seis meses depois de um e-mail semelhante ter andado a circular, e acusa-os de poluir o país e de não contribuir para o seu desenvolvimento.

"Por causa dos estrangeiros estamos cada vez mais pobres e somos nós que pagamos por eles. Os impostos vão subir e os estrangeiros apenas poluem o país", lê-se no panfleto do economista e fundador do movimento nacionalista "National Bewegong", Pierre Peters, citado pela imprensa no Luxemburgo. No panfleto, os imigrantes, nomeadamente os portugueses, franceses e jugoslavos, são "aconselhados" a sair do país. Pierre Peters diz-se "farto dos estrangeiros" e acusa "portugueses, franceses e jugoslavos" de estarem a dar prejudicar o Luxemburgo. "Estrangeiros rua!", afirma o nacionalista no panfleto escrito em luxemburguês, que no seu site recusa a classificação de "racista".

Contactado pela Lusa, o presidente da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo, José Coimbra de Matos, disse que os portugueses no país "começam a ficar inquietos" e acusa as autoridades luxemburguesas de serem brandas. "Tem de haver medidas severas para se parar com isto. As autoridades não podem deixar passar estas situações. Não deviam permitir que, ainda que de uma forma isolada isto seja repetido", afirmou. Para Coimbra de Matos, a "primeira medida" a ser tomada deveria ser "encerrar o site" de Pierre Peters. "Se fosse um português a fazer isto, era perseguido, mas assim não há nada que se faça", lamentou o dirigente associativo, que defende que "até dá jeito" às autoridades luxemburguesas estes episódios. "Quanto ao e-mail que circulou dizem-nos que a investigação ainda está em curso. Não há resultados. Combatem-nos pelo cansaço porque dizem que fazem, que fazem, mas nunca há resultados", afirmou. Coimbra de Matos teme que este tipo de situações venha a piorar com a crise que também se sente no Luxemburgo. "O desemprego voltou a subir em dezembro e no acesso ao mercado de trabalho nota-se alguma discriminação", garantiu. "Se a crise se agudizar, os ataques xenófobos serão maiores", alertou.

Entretanto, a polícia judiciária luxemburguesa já fez buscas na casa de Pierre Peters, mas os resultados estão em segredo de justiça, indicou Coimbra de Matos. O Movimento Nacionalista (National Bewegong) ganhou destaque nas eleições legislativas e europeias em 1989, quando estava sob a liderança de Pierre Peters. Nas eleições europeias teve 2,9 dos votos a nível nacional. As últimas eleições a que concorreu foi em 2004, quando o partido não conseguiu ganhar um assento quer nas legislativas quer nas europeias e foi imediatamente dissolvido. Entretanto, o seu fundador, Pierre Peters, criou um site de conteúdos racistas e xenófobos onde divulga os seus ideais.

Residem oficialmente no Luxemburgo cerca de 80 mil portugueses.

ionline, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios