FR

Link para inquéritoO regresso como emigração: o caso dos jovens adultos portugueses

Início / Recursos / Recortes de imprensa 2010
Portugueses em Angola fazem com que remessas de emigrantes sejam superiores às dos imigrantes
2010-10-06
OJE/Lusa As transferências correntes com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) tiveram, pela primeira vez, em 2009, um saldo positivo para Portugal de 67,1 milhões euros, sustentado pelas remessas de emigrantes portugueses em Angola, revelou hoje o Banco de Portugal.

No total, incluindo PALOP e Timor-Leste, o volume de remessas líquidas atingiu 67,1 milhões de euros, sendo que emigrantes portugueses enviaram para o país 109,1 milhões de euros, enquanto as remessas dos imigrantes foram de 42 milhões de euros.


Este valor traduz uma subida de 130% face a 2008, quando o volume de remessas líquidas tinha sido ainda negativo para Portugal em 6,4 milhões de euros.


A grande evolução deu-se nas remessas de emigrantes portugueses em Angola, que atingiram os 103,5 milhões de euros (70,9 milhões de euros em 2008), enquanto os imigrantes as remessas de imigrantes angolanos em Portugal foram de 12,3 milhões de euros (13,1 milhões de euros em 2008).


Em 2005, o saldo foi negativo para Portugal em 35,4 milhões de euros, tendo vindo a melhorar desde então até atingir em 2009, pela primeira vez como referido, um saldo positivo.


Os dados são do relatório sobre a evolução das economias dos PALOP e Timor-Leste, e relações comerciais e balanças de pagamentos de Portugal com estes países.

Oje, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 322

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios