FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2010
Emigração: Angola mantém-se como novo «El Dorado»
2010-07-12
Mais de 23 mil portugueses emigraram para Angola em 2009. Segundo dados divulgados pelo Observatório da Emigração, no ano passado residiam no país 74.600 cidadãos portugueses. Para além de Angola, que já é considerado o novo «El Dorado» da emigração portuguesa, Espanha, Reino Unido e Suíça, são outros dos países mais procurados pelo portugueses para começar uma nova vida.

Em 2009, foram 23.787 os vistos emitidos pelo Consulado de Angola em Lisboa para os portugueses que passaram a residir naquela país africano.
Este número corresponde aos vários tipos de vistos - privilegiado (480), trabalho (12.114), trabalho para a reconstrução nacional (8.843), permanência agregado ao visto de trabalho (1.973) e outros (estudo e permanência temporária, 377), segundo dados do Consulado divulgados pelo Observatório da Emigração.
Entre 2005 e 2009, terão saído cerca de 70 mil portugueses por ano, referiu Simões Bento, director do Observatório de Emigração, ao Jornal de Notícias. Os dados (ainda provisórios) referentes ao ano passado, dão conta de uma diminuição, nomeadamente para alguns países da Europa. Mas Espanha, Reino Unido e Suíça estão entre os destinos mais procurados. De acordo com a mesma notícia, nos últimos cinco anos, 350 mil portugueses viram-se obrigados a deixar o país para «fugir» à crise.

Em força para Angola

Os números da saída de portugueses Angola têm crescido de forma significativa de ano para ano. Em 2006, o Consulado daquele país em Lisboa emitiu apenas 156 vistos, um número que subiu para 1.296 no ano seguinte.
Em 2008 houve uma ligeira subida - 1.474 portugueses receberam o visto, mas foi no ano passado que se verificou o mais aumento - 23.787 portugueses deram entrada naquele país para residirem, pelo menos, durante um ano.
Segundo Mário Leston Bandeira, catedrático do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, pode estar na grave crise económica que assola a Europa, mas que não tem travado o galopante crescimento da economia angolana.
"Um dos aspectos da actual conjuntura económica é os portugueses, tal como os antepassados que descobriram o Mundo, virarem-se para África quando a Europa está em crise", sublinhou o antigo presidente da Sociedade Portuguesa de Demografia ao Jornal de Notícias.
Na Europa, é Espanha o país onde se verifica uma maior tendência de aumento anual da população portuguesa. De acordo com o Observatório da Emigração, em 2003 entraram no país vizinho, 4.825 cidadãos nacionais, um número que aumentou para 9.851 no ano seguinte.
A tendência de crescimento manteve-se em 2005 - 13.327 portugueses - e em 2006, quando 20.658 emigraram para Espanha. Em 2007, último ano a que reportam os dados do Observatório, tinham entrado naquele país, 27.178 portugueses.
Na Suíça, o número de portugueses que deu entrada anualmente, entre 2003 e 2008, também aumentou - de 12.228 (em 2003) para 17.657 (em 2008). Um aumento que também se verificou na Alemanha, entre 2005 e 2009, segundo o Observatório. Foram 3.418 os portugueses que entraram naquele país em 2005. Um número que caiu ligeiramente - 3.371 - no ano seguinte, para voltar a aumentar em 2007: 3.766. A tendência manteve-se em 2008, com a entrada na Alemanha de 4.214 portugueses. No ano passado, foram 4.468 os nacionais que optaram por viver naquele país.
No Reino Unido, o pico do movimento de portugueses ocorreu em 2004, quando entraram 13.850 portugueses. Nos anos seguintes, verifica-se uma quebra, ligeiramente contrariada em 2007 e 2008, mas que em 2009 volta a sentir-se: 10.310 entradas.
Comparando o número de cidadãos nascidos em Portugal a residir naquele país, entre 2005 e 2009, constata-se um aumento de quase 60 mil pessoas.

 

Mundo Português, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios