FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa 2010
Dinamarca: Luso-descendentes começam a ter aulas de português em Agosto
2010-05-17
Em Agosto, 15 crianças, portugueses e luso-descendentes, entre os sete e os 13 anos, vão estudar português em Copenhaga, na Dinamarca. Integram a primeira turma de alunos de língua portuguesa criada naquele país. Surgiu fruto da persistência de alguns pais, preocupados com a perspectiva da «perda» da língua materna por parte dos filhos. E recebeu o total apoio da Comuna (autarquia) de Copenhaga, que cedeu o local e o material didáctico e vai pagar o salário da professora...

Cristina Amaro chegou à Dinamarca há quatro anos, com os dois filhos.
O marido já lá estava há um ano e a opção pela mudança de vida deveu-se à falta de perspectivas que encontravam em Portugal. As «barreiras» iniciais sentidas perante uma língua muito diferente da sua, estenderam-se aos filhos.
"O Vicente tinha três anos e entrou logo para o infantário. O Martim, com sete anos, teve mais dificuldades, foi preciso um ano para a adaptação", afirmou Cristina que apesar disso, pode contar com o apoio da escola onde inscreveu o filho, que dispõe de uma classe onde o dinamarquês é ensinado exclusivamente às crianças estrangeiras.
Quatro anos depois, superado a questão da aprendizagem do dinamarquês, Cristina viu-se perante outro problema: a perspectiva da «perda» da língua materna por parte dos filhos, uma questão que, como descobriu, preocupa também outros portugueses que residem naquele país. Iniciou por isso em Março, um movimento que vai culminar no primeiro curso de língua portuguesa para crianças, que será dado em Copenhaga. Vai iniciar-se em Agosto e a primeira turma conta já com 15 alunos.
"Os meus filhos falam perfeitamente o dinamarquês, mas estão a esquecer o português, apesar de falarmos com eles em casa", explicou a O Emigrante/Mundo Português, acrescentando que o receio de que eles perdessem a língua materna levou-a a procurar ajuda para dinamização de uma classe de português. Esse apoio, encontrou-o junto da Comuna (Câmara Municipal) de Copenhaga.
Cristina Amaro e Susana Slemming, portuguesa casada com um dinamarquês, reuniram-se no dia 16 de Março com um responsável na Comuna, que as esclareceu sobre o que seria necessário para iniciarem as aulas de português para crianças.
"Soubemos que os cursos são gratuitos para membros da União Europeia, abertos a crianças do primeiro ao nono ano. Só teríamos que reunir no mínimo 12 crianças e que pelo menos um dos pais seja português. De resto, a Comuna oferece tudo: a sala de aulas, o material didáctico e paga o salário do professor", explicou Cristina Amaro a O Emigrante/Mundo Português.
Como previa, numa comunidade pequena, uns pais acabaram por incentivar os outros. No final de Abril, as 12 vagas já tinham sido preenchidas e no início de Maio, a primeira classe de língua portuguesa para filhos de portugueses na Dinamarca, contava já com 15 alunos
"As aulas vão decorrer aos sábados de manhã, divididas em três períodos de 45 minutos cada, numa escola pública perto do centro da cidade. A Comuna já abriu um concurso público para o preenchimento da vaga de professora, mas até temos pessoas da comunidade portuguesa que estão dispostas a dar as aulas", sublinha.
"E para o ano lectivo de 2011/2012, já temos pelo menos mais quatro crianças", finaliza.

Ana Grácio Pinto
apinto@mundoportugues.org

Mundo Português, aqui

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Parceiros Apoios