FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2010
Cavaco Silva quer língua portuguesa nos sistemas de ensino de Andorra e Catalunha
2010-03-10
Cavaco Silva iniciou no dia 4 deste mês, em Barcelona, capital da Comunidade Autónoma da Catalunha, uma visita que estendeu a Andorra. Se no Principado, o Chefe de Estado deu destaque aos momentos com a comunidade e à afirmação da importância do ensino da língua portuguesa, em Barcelona para além desta questão, sublinhou a importância da intensificação das relações bilaterais entre os dois países, destacadamente com a Catalunha, principal parceiro comercial de Portugal em Espanha.

Um dos pontos altos desta visita foi ainda o encontro com membros da comunidade portuguesa naquela região - a segunda maior comunidade lusa de Espanha - formada em grande parte por jovem estudantes, quadros de empresas e investigadores.

CATALUNHA

Uma audiência ao ministro dos Negócios Estrangeiros de Espanha marcou o início da visita à Catalunha. Miguel Moratinos ouviu de Cavaco Silva o desejo de que o ensino da língua portuguesa fosse introduzido como língua de opção no sistema oficial espanhol. O Chefe de Estado português pediu maior receptividade aos interesses portugueses, tendo destacado nesse âmbito, o ensino do português.

Mas um dos pontos altos do primeiro dia da viagem foi o encontro com membros da comunidade portuguesa da Catalunha - a segunda maior comunidade lusa de Espanha - que ouviram do Chefe de Estado português palavras de apoio, mas também de agradecimento. Cavaco Silva sublinhou que procura contactar sempre com os portugueses residentes no estrangeiro por estar "consciente do papel que representam na projecção da imagem de Portugal" e do contributo que podem dar "para o desenvolvimento" do país.

Disse ainda que quis conhecer uma comunidade "jovem" que inclui muitos artistas, quadros de empresas, estudantes e investigadores. "Uma comunidade que reflecte bem o mosaico da identidade portuguesa", e que pode contribuir para ajudar Portugal a vencer as dificuldades.

São "momentos difíceis" aqueles que Portugal e Espanha vivem, mas "que temos que ultrapassar", afirmou Cavaco Silva, acrescentando que também nesse aspecto as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo podem dar o seu contributo, nomeadamente dando a conhecer "as potencialidades do país" e os seus "produtos e serviços de qualidade que gostaríamos de exportar mais", sublinhou.

A actual crise económica pontuou uma parte do discurso do Chefe de Estado, que entretanto, antes de terminar quis deixar aos portugueses que o ouviam, palavras de optimismo. "Portugal já passou por outras dificuldades anteriormente e venceu-as. Eu acredito que vai vencer esta também".

A presença no Fórum Ibérico de Barcelona, uma visita ao Parque de Investigação Biomédica, que incluiu um encontro com alguns dos investigadores portugueses que ali trabalham, e a inauguração da nova sede do Bankprime, instituição da qual o Banco Banif é o principal accionista foram outros dos pontos da agenda de Cavaco Silva numa viagem em que foi acompanhado pelos secretários de Estado da Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, e das Comunidades Portuguesas, António Braga.

Empresas ibéricas devem apostar na Inovação

 A Catalunha é o principal parceiro comercial de Portugal em Espanha, com um comércio anual que ultrapassa os 5.000 milhões de euros, mas este número não significa que haja um aproveitamento pleno do mercado ibérico e uma cooperação económica entre os dois países "suficientemente desenvolvida e consolidada". Palavras do Presidente da República, proferidas na manhã do dia 5, na sessão inaugural do Fórum Ibérico de Barcelona (FIB), que contou com a participação de cerca de 80 empresas portuguesas, metade das quais implantadas na Catalunha. Organizado pela Câmara de Comércio de Barcelona e pelo Governo português, através do Consulado de Portugal na capital da Catalunha, o FIB surge como uma plataforma empresarial para promover o debate e a cooperação económica entre os dois países.

Perante uma vasta plateia de empresários portugueses e espanhóis, o Chefe de Estado alertou para a necessidade dos dois países colocarem de lado "quaisquer tendências proteccionistas" e de criarem condições para um "amplo e recíproco acesso das empresas portuguesas e espanholas aos mercados dos dois países". "Considero que o principal objectivo das empresas portuguesas e espanholas deve ser o de apostar fortemente na inovação, no reforço da competitividade e na conquista de novos mercados", afirmou, acrescentando que esse objectivo exige também o empenho dos agentes políticos.

ANDORRA

Cavaco Silva deslocou-se a Andorra entre 5 e 7 de Março, para uma visita que inclui uma recepção à comunidade portuguesa, junto da qual celebrou o seu quarto ano na Presidência da República.

A primeira visita de um Chefe de Estado português à comunidade lusa residente no Principado, incluiu um encontro com empresários portugueses e outro com dirigentes associativos e o conselheiro das Comunidades Portuguesa. Mas num dos pontos altos da visita, Cavaco Silva encontrou-se, no dia 6, com professores e alunos de português. Ouviu o Hino nacional, cantado pelas 360 crianças presentes e visitou uma exposição intitulada «Portugal», com textos e desenhos dos alunos. O Encontro com as crianças portuguesas reuniu mais de mil pessoas, entre elas pais de alunos que ouviram de Cavaco Silva pedir-lhes para darem "a sua ajuda" no sentido de que não se perca a ligação linguística a Portugal. "É uma forma de deixarem aos vossos filhos e netos, um instrumento de trabalho importante aqui, em Portugal, em Espanha, na França, ou noutro lado", destacou o Presidente da República, acrescentando que gostaria "que o português pudesse ser uma língua de opção no ensino oficial de Andorra".

Um desejo que o Chefe de Estado já havia expressado nos dois encontro políticos realizados na manhã desse mesmo dia - com o primeiro-ministro andorrano, Jaume Bartomeu, e a presidente da Câmara Municipal de Andorra La Vella , Rosa Ferrer. A ambos, sublinhou a dimensão da comunidade portuguesa em Andorra - com quase 14 mil pessoas, representa cerca de um quinto da população andorrana.

Para além de agradecer o apoio prestado à comunidade na sequência do acidente ocorrido em Novembro do ano passado en onde morreram cinco operários portugueses, Cavaco Silva "quis insistir no problema da língua portuguesa, algo que preocupa a comunidade, algo que preocupa as autoridades portuguesas há muito tempo", como referiu num encontro que realizou com os jornalista portugueses que o acompanharam na visita.

"Há uma complexidade específica do ensino em Andorra, mas eu tive a ocasião de sublinhar que existe um outro país onde a complexidade não é menor e no qual foi possível um entendimento - o Luxemburgo, em que os jovens aprendem o luxemburguês, o francês, o alemão e já está integrado o português em muitas escolas, no currículo oficial", acrescentou o Presidente.

Disse ainda ter pedido que o governo andorrano fizesse "um esforço especial para que fosse encontrada uma solução de forma a não sobrecarregar os filhos dos portugueses com o ensino paralelo". E revelou que "estão programadas reuniões nesse sentido", tendo sido "deixada aberta uma porta", para a integração do ensino do português como língua de opção no sistema curricular de Andorra.

Um pequeno-almoço com os líderes de associações e com o conselheiro das Comunidades Portuguesas e ainda um encontro com empresários que estão radicados no Principado, foram outros compromissos que Cavaco Silva cumpriu durante a visita. Num país onde sublinhou existirem 240 empresas portuguesas, Cavaco Silva quis dizer aos empresários ali implantados, que estes são "uma força", com "peso económico" naquele país.

Num encontro em que estiveram presentes o ministro da Economia andorrano, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas e o representante do AICEP, o Chefe de Estado alertou os empresários para a necessidade de que "venham a ter também peso político". "É essencial que possam ser ouvidos nos países de acolhimento", sublinhou.

Festa com os portugueses

 Naquela que foi a primeira presença de um Chefe de Estado português junto da comunidade lusa do principado, Cavaco Silva cumpriu na noite do dia 6, um dos pontos altos da visita, ao oferecer uma recepção aos portugueses ali residentes.

Com a visita a Andorra, cumpriu mais uma vez a promessa de marcar os aniversários do seu mandato presidencial junto os portugueses residentes no estrangeiro. Recorde-se que em 2007, Cavaco Silva comemorou o primeiro ano na Presidência da República junto da comunidade portuguesa no Luxemburgo. Um ano depois visitou o Brasil e em 2009 comemorou com os portugueses residentes em Osnabruck, Alemanha, o seu terceiro ano de mandato.

O Centro de Congressos de Andorra recebeu mais de mil pessoas que ouviram o seu presidente explicar o motivo da visita. "Quis estar com os portugueses do Principado de Andorra, em sinal de solidariedade para com todos, começando pelas famílias dos que nos deixaram na sequência dos trágicos acontecimentos que marcaram a vida da comunidade, em Novembro passado", afirmou.

Referindo que a actividade empreendedora é uma das "vias de afirmação" da comunidade, e que deve ser promovida, Cavaco Silva recordou também outra área que considera relevante para o sucesso da sua integração: o ensino. Nesse aspecto, voltou a chamar a atenção para a importância do ensino do português. Perante uma plateia que integrava as autoridades políticas de Andorra, o presidente afirmou que a língua "é um importantíssimo factor de identificação com a nossa terra e com as nossas origens". "É dever de todos nós garantir que as novas gerações tenham as condições de que necessitam para a aprenderem e praticarem", referiu no discurso. Um dever que, disse ainda o Chefe de Estado português, é também "das entidades oficiais".

Ana Grácio Pinto
apinto@mundoportugues.org

Mundo Português, aqui.

 

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios