FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2009
Luxemburgo: Exposição retrata emigração portuguesa nos anos 60
2009-11-23
«Por uma vida melhor» revela uma realidade vivida pela maioria dos portugueses que emigraram para França e Luxemburgo nos anos 60 do século XX. Documentos, uma exposição fotográfica, documentários e uma conferência sobre a integração dos portugueses nas duas sociedades dão a conhecer, a partir de 27 de Novembro até 3 de Janeiro, no Luxemburgo, as condições encontradas por homens e mulheres que deixaram Portugal em busca de uma vida melhor.

Inaugurada a de 27 de Novembro e patente até 3 de Janeiro, a exposição reúne imagens e documentos do início da imigração portuguesa em França e no Luxemburgo que revelam as condições nas quais homens e mulheres viveram inicialmente, naqueles dois países.
As fotografias de Gérald Bloncourt, pintor, gravador e fotógrafo, que nasceu no Haiti em 1926 foram tiradas nos bairros de lata dos arredores de Paris. O olhar «militante» de Gérald Bloncourt - a sua atitude crítica em relação à ditadura no seu país natal, obrigou-o a exilar-se em França em 1946 - levou-o a interessar-se pelo destino dos portugueses que chegam a França a salto nos anos 60 à procura de trabalho. 
As 50 fotografias desta exposição foram tiradas nos bairros de lata dos arredores de Paris e revelam as dificuldades e esperanças de uma comunidade portuguesa que ali chegou na esperança de encontrar melhores condições de vida.
Os documentos que também estará expostos, referem-se à presença portuguesa no Luxemburgo e ilustram aspectos da vida sua familiar, administrativa e comunitária.

A emigração «a salto»

Para além da exposição, a emigração portuguesa para os dois países, nos anos 60, é o tema de dois documentários de José Vieira. «A foto rasgada» conta, ao longo de 52 minutos, a ida a salto dos portugueses para França e situa este êxodo no contexto político e económico português da ditadura de Salazar. O filme é legendado em português e francês e será exibido durante toda a exposição 
Já «Le drôle de Mai: crónica dos anos de lama», uma co-produção França-Portugal vai ser exibido a 16 de Dezembro, a partir das 20 horas. José Vieira faz uma crónica social e política de um bairro de lata, a partir do testemunho de imigrantes portugueses apanhados na tormenta dos acontecimentos de Maio de 68 em França. 
A projecção será seguida de um debate com a participação de testemunhos de portugueses dessa época que se distinguiram pelas suas actividades sociais, políticas e associativas no Luxemburgo. 
No dia 2 de Dezembro, a partir das 19h30, realiza-se uma conferência de imprensa sobre a participação dos portugueses nas sociedades francesa e luxemburguesa. «Les Portugais sont-ils invisibles?» (Os Portugueses são invisíveis?) é o tema de um debate, com tradução simultânea para o português, com a presença de Albano Cordeiro sociólogo e economista na Universidade de Paris VII o investigador do CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Científica) e de Aline Schiltz que está a realizar, na Universidade do Luxemburgo, um doutoramento sobre as migrações entre Portugal e aquele país.
A exposição «Por uma vida melhor» está patente na Abadia de Neumünster (Centre Culturel de Re), todos os dias, entre as 11 e as 18 horas. A entrada é gratuita.
A.G.P.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios