FR
Início / Recursos / Recortes de imprensa / 2009
«Oxalá»: Filme de Gael Bernardo numa sala parisiense
2009-09-16
Jovem realizador foi a Portugal a pé

O jovem luso-descendente Gael Bernardo, realizador do documentário «Oxalá,Quête sur les chemins de la mémoire», apresenta o seu filme que aborda essencialmente as questões relacionadas com a memória da emigração portuguesa e da cidadenia, no dia 25 de Setembro, no Cinéma Action Christine, 4 rue Christine, em Paris.

"Este filme é antes de mais um trabalho pessoal, à procura das diferentes partes que constituem a minha identidade, já que sou francês, mas os meus pais são portugueses" explica ao LusoJornal o jovem realizador. Por isso decidiu fazer o percurso inverso ao de um dos seus tios que veio para França a pé.

"Desde pequenino que ouvia contar a história do meu tio Bernardo, que chegou a França a pé. Em 1964 deixou a nossa aldeia que é Vale da Senhora da Póvoa,para emigrar para Poitiers. Andou quatro semanas a pé,com outros homens.E esta história sempre me fascinou. Achava-o um homem cheio de coragem" conta Gael Bernardo."Desde criança que eu pensava que para ser um homem, tinha de fazer este tipo de viagem".

Foi assim que Gael Bernardo decidiu partir de Poitiers, rumo à aldeia familiar, na Beira, fazendo durante cinco semanas a viagem a pé."Esta viagem foi feita com muito conforto. Não foram as mesmas condições do meu tio. Um amigo acompanhou-me com uma carrinha para dormir e levar o material. Não tinha a Guarda Civil espanhola com uma arma para me matar. Enfim, foi tudo bem mais simples".

Quando chegou à aldeia, a família estava lá para o acolher e para lhe mostrar a casa onde o pai viveu."Foi muito emocionante".

Mas,apesar de várias tentativas,o Tio António nunca aceitou o convite do sobrinho para lhe contar a viagem que fez. "Não queria falar daquilo, daqueles momentos. Mas mesmo assim eu fiz esta viagem". Depois de ter feito as cinco semanas de percurso, voltou a tentar falar com o Tio,em vão."Só quando fiz uma projecção pública do filme é que o meu tio aceitou vir e depois disso já me contou como foi a viagem".

Segundo Gael Bernardo,"este filme deu a possibilidade à minha família de falar.Na maior parte dos casos, os filhos não conhecem completamente as histórias que os pais viveram para vir para França.Mas depois de verem o filme já falam".

Gael Bernardo entrevistou o ensaista Eduardo Lourenço que o ajudou a compreender melhor a sua identidade e o porquê do seu projecto."Compreendi muito do que eu sou, procurei bem as minhas raízes. Agora estou preparado para constituir família e para eu próprio, transmitir a minha história aos meus filhos" diz ao LusoJornal.

O DVD do filme está à venda e Gael Bernardo sonha poder apresentar um dia, o seu filme em Portugal.

Lusojornal, aqui.

Observatório da Emigração Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas,
1649-026 Lisboa, Portugal

T. (+351) 210 464 018

F. (+351) 217 940 074

observatorioemigracao@iscte.pt

Parceiros Apoios